Busca Home Bazaar Brasil

Diversão sobre rodas

Pistas de patins estilo retrô são pontos de encontro para crianças, adolescentes e adultos nostálgicos

by redação bazaar

Por Érika Masckiewic
@corujadedois

Febre nos anos 1980 e 1990, a patinação volta a ser opção de programa para toda família, talvez motivada pela série tween e teen “Sou Luna”, da Disney. Em São Paulo, as pistas têm um toque retrô: piso de madeira, iluminação de discoteca e set list com os hits da época. A estrutura conta ainda com lanchonetes estilo dinner americano com muito hot dog, hambúrguer e batata frita, além de máquinas de fliperama que completam a decoração vintage.

Os visitantes podem levar os patins ou então alugar no local, por tempo ilimitado. As pistas trazem adeptos dos estilos street, mas principalmente fãs do saudoso “Quad”, o tradicional modelo de quatro rodinhas, perfeito para realizar movimentos coreógrafos, assim como os personagens Luna, Âmbar, Simón e Matteo, da novelinha mexicana arquitetada pela Disney. A seguir, confira os points de São Paulo.

Mega Roller Skate Park

Instalado em um espaço de 2.500 metros quadrados, e dois andares na zona norte de São Paulo, o Mega Roller Skate Park é um centro de entretenimento para os amantes de esportes radicais sobre rodas, como skatistas, patinadores e ciclistas BMX. O complexo traz pista de street completa com microrampa, quarter, quarter-pipe, rampa reta, savana com e sem trilho, funbox, trilho, corrimão, bancos e escadas. A pista de patinação conta com iluminação por LEDs e telão de 16 metros de largura, um ponto de encontro tanto para as crianças quanto para os adultos nostálgicos. O lugar tem ainda uma cabine de DJ com músicas pop/rock dos anos 1970 até a atualidade.

 

Roller Jam

Com uma pista de 450 metros quadrados, a casa explora a temática retrô, com decoração e iluminação típicas da década de 1970, ao som dos hits dançantes da discomusic. Telões projetam vídeos sobre patins que acontecem em outros rinques ao redor do mundo, além de filmes e de videoclipes temáticos. No espaço, monitores e professores ensinam o passo de dança sobre rodinhas.