Busca Home Bazaar Brasil

“As brasileiras deveriam aprender a se cuidar com as europeias”, diz Cinthia Sarkis

A médica, que por mais de uma década viveu na Espanha, traz ao país a sua versão do “menos é mais” em beleza

by redação bazaar
Foto: editorial/arquivo Harper's Bazaar

Foto: editorial/arquivo Harper’s Bazaar

por Anna Paula Buchalla

Peelings, botox, preenchimentos, mais botox, lasers, radiofrequências, luzes pulsadas, visitas a esteticistas, dezenas de cremes, séruns, vitaminas e óleos faciais e corporais na bancada do banheiro. Essa é a rotina de beleza de boa parte das brasileiras: um ritmo frenético e enlouquecido de cuidados na árdua luta contra a ação do tempo. Mas será que é preciso tudo isso? Se depender da médica Cinthia Sarkis, diretora da clínica de Alergia e Dermatologia que leva seu nome, no bairro dos Jardins, em São Paulo, a reposta é um redondo NÃO!

Cinthia alerta para os excessos (desnecessários) em prol da beleza e ensina que, assim como as europeias, as brasileiras deveriam aprender a adotar poucos passos no ritual de beauté. “Muitas desconhecem que manipular demais a pele pode afetar a sua imunologia, aumentando a propensão a alergias. A pele fica indefesa ” explica a médica, que tem formação também em alergologia. “É preciso ter cautela com a frequência do uso de lasers, principalmente ablativos assim como o uso continuo de cosméticos com tantos princípios ativos”, ensina.

A médica desvenda o segredo da beleza das europeias: uma pele bem cuidada, sem manchas, hidratada, mas não necessariamente esticada, sem rugas e sem expressão. Esse resultado é conseguido através de algumas visitas ao médico, uso adequado de fotoprotetor, tratamentos feitos esporadicamente em consultório e o uso comedido dos cosméticos adequados.

“A mulher jamais deveria querer aparentar menos idade do que tem, mas sim querer estar linda em sua própria idade”, ensina a doutora Cinthia. “Digo às minhas pacientes para usarem como parâmetro a foto tirada no Natal. A cada ano elas tem que se achar mais bonitas que no passado, mas não necessariamente mais jovens”. A beleza sutil, defendida pela médica, se consegue atuando basicamente em três pilares: suporte para a perda óssea e de gordura (e aqui entram os preenchimentos com ácido hialurônico, aplicados de forma leve e em pequenas quantidades), melhora da qualidade da pele com o uso de lasers não ablativos e, por fim, o uso de toxina botulínica de forma a relaxar os músculos da face.

Cinthia defende ainda a importância do estilo de vida. “Na Europa somos cada vez mais conservadores, constatamos que a beleza é reflexo de saúde, de peso adequado, boa alimentação, bons hábitos e que esses são os grandes aliados aos tratamentos de ponta que a medicina tem para oferecer. Mesmo porque envelhecer é um processo natural e inevitável que pode ser trabalhado para que ocorra da melhor forma possível. ” O resultado é uma beleza natural, sem esforço, agradável aos olhos – seus e dos outros.

Leia mais: Esse truque de 10 segundos vai dizer se seu cabelo está saudável ou não
Tudo o que você precisa saber sobre o cuidados das unhas
Tratamentos estéticos que migraram da face para o bumbum

Sete dicas que os nutricionistas costumam dar para os amigos

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar