Busca Home Bazaar Brasil

Vitamina na veia! Injetar coquetéis com suplementos virou receita pra tudo

O tratamento previne doenças, dá um boost de energia, melhora o humor, emagrece e ainda cura ressaca

by Ariene Oliveira

por Anna Paula Buchalla

A onda toda começou (adivinhem?) lá onde todos os modismos de beleza e bem-estar começam. Sim, Los Angeles, a meca do corpo perfeito, inaugurou os primeiros spas de injeção intravenosa de vitaminas para prevenir doenças, dar um boost de energia, melhorar o humor, emagrecer e até curar ressaca.

A moda da vitamina na veia ganhou novas formulações e mais adeptos em todo o mundo, muitos deles no Brasil.

Foto: Harper's Bazaar

Foto: Harper’s Bazaar

Na clínica carioca Premium Life, comandada pelo médico Romualdo Lima, conhecido como Doutor Doc, a suplementação intravenosa já é um sucesso. “O Endovitta, como chamamos esse procedimento aqui na clínica, é algo muito novo no País, mas bastante conhecido nos Estados Unidos e na Europa, com muitos adeptos, entre eles celebridades como Rihanna, Kate Moss e Cara Delevingne”, diz o médico. O tratamento consiste na introdução de soros – criados especialmente para cada paciente – em sessões de aproximadamente 45 minutos.

Esses soros são, na verdade, coquetéis feitos com vitaminas, sais minerais, enzimas e aminoácidos. A vantagem? Os nutrientes penetram nas células de forma direta e exatamente onde são necessários.

“O resultado é potencializado em quase 20 vezes em relação à suplementação oral”, explica o Doutor Doc. As injeções com blends de vitaminas se sofisticaram recentemente (antes, restringiam-se basicamente a vitaminas B e C) e ganharam siglas como NADH (otimiza a energia), MSM (contra stress oxidativo) e EDTA (uma espécie de detox).

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Elas têm sido uma alternativa recorrente para quem está se sentindo cansado, com o sistema imunológico fragilizado e sem energia.
Quem faz, jura que a pele ganha vida e glow, o corpo dá um up como um todo e isso até ajuda a perder peso. Mas seria o procedimento nada mais do que um placebo alardeado aos quatro cantos por celebridades no Instagram? Ou os efeitos são mesmo reais? É fato que consumimos, via alimentos, muito menos vitaminas do que o nosso corpo precisaria em um dia.

“Nossas frutas e verduras têm bem menos nutrientes do que tinham no início do século passado”, diz Doutor Doc. Estudos recentes mostram que grande parte da população é carente de vitaminas como A, B12, C e D. Sem falar na falta de cálcio, ferro, fibras e potássio.
Quando se trata de absorver as vitaminas e minerais, há vários fatores envolvidos, inclusive a hora do dia em que se tomam os suplementos. Como a absorção via intestino é bem menos efetiva do que a diretamente no músculo ou na veia,oralmente as doses necessárias acabam sendo maiores.

“Tudo começou com as técnicas de detox da prática ortomolecular”, explica o médico nutrólogo Theo Webert. Segundo ele, para além dos coquetéis com vitaminas, aminoácidos, zinco, selênio, manganês e magnésio, há blends injetáveis via endovenosa ou muscular para tratar problemas de saúde, como o PRP, plasma rico em plaquetas, voltado para a regeneração tecidual.

Ele tem efeitos que vão desde a melhora da produção de colágeno, que tem ação visível na firmeza da pele, até o tratamento de processos inflamatórios e doenças degenerativas, como Mal de Alzheimer. “Esse é um ramo da medicina preventiva que está apenas começando”, diz o doutor Theo. Fato é que nos Estados Unidos as clínicas, spas e vitamin bars só para injeção de vitamina se multiplicam entre os que não se incomodam em pagar de US$ 75 a US$ 100 por shot.

Entre os tratamentos, há os feitos com vitaminas como L-carnitina, que reduz o colesterol e a pressão sanguínea, biotina, contra queda de cabelo, vitamina B6, que aumenta os níveis de serotonina, melhorando a sensação de bem-estar, entre outros. Há ainda coquetéis específicos contra enxaqueca, ressaca e jet-lag.

Khloé Kardashian - Foto: Harper's Bazaar

Khloé Kardashian – Foto: Harper’s Bazaar

Em Los Angeles, o Le Jolie é o spa de vitaminas injetáveis queridinho das Kardashians, onde as mulheres costumam receber as agulhadas em bando. Outra das clínicas mais requisitadas é a Park Avenue Skin Solutions, em Nova York, onde as clientes vão uma vez ao mês para receber injeções com a famosa MIC, que combina um blend de aminoácidos que previne o excesso de gordura circulante no organismo. É como se elas acelerassem o metabolismo das gorduras.

Os efeitos costumam durar de duas a três semanas. Mas a mais popular por lá ainda é a B12, que acaba com a fadiga. Mas é justamente aí que entra um dos principais riscos do procedimento: muitas vezes, a fadiga física é sintoma de alguma doença ou disfunção que, nesse caso, acaba sendo mascarada. Também há poucos estudos clínicos que comprovem os efeitos das injeções ou que revelem seus efeitos de longo prazo. Vitaminas, em excesso, podem ser perigosas.

O acúmulo da vitamina A, por exemplo, pode causar sintomas similares ao de um tumor cerebral,como dores de cabeça, tontura e náusea. É tudo muito novo ainda. Por isso, é essencial buscar um profissional qualificado antes de se submeter às picadas. “As aplicações, quando bem feitas, podem guardar o segredo da longevidade”, aposta o Doutor Doc.