Busca Home Bazaar Brasil

Xô, celulite! Conheça os novos tratamentos que prometem amenizar o problema

A dermatologista Juliana Piquet aponta os três procedimentos mais requisitados do momento

by Ariene Oliveira
Kim Kardashian - Foto: Amanda de Cadenet para Harper's Bazaar

Kim Kardashian – Foto: Amanda de Cadenet para Harper’s Bazaar

Sculptra

O Sculptra é um dos mais novos e o tratamento mais indicado com efeito de preencher os furinhos de celulite e melhorar a flacidez, muitas vezes associada ao problema.

Trata-se de um ácido polilático, uma substância sintética e biocompatível, que provoca uma reação ao ser injetado que culmina com a síntese de colágeno novo e efeito “preenchedor”, além de melhorar a flacidez. É como se ele “esticasse” a pele.

O resultado do procedimento não é imediato e pode provocar hematomas no local da aplicação. O número e intervalo entre as sessões vai variar de acordo com a gravidade e ele pode (e deve) ser associado a outros tratamentos que agem estimulando o colágeno. Nesse caso, o ideal é esperar cerca de 3 semanas, quando já podemos observar novos fibroblastos (as células que produzem o colágeno) na região tratada. O efeito é um booster, uma vez que vai haver uma maior quantidade de células sendo estimulada. “Gosto muito da associação com o VelaShape, já consagrado no tratamento da celulite”, diz a dermatologista Juliana Piquet.

 

VelaShape 

O VelaShape é conhecido como o equipamento “queridinho” dos dermatologistas e já foi utilizado por mais de 3,5 milhões de pessoas em todo o mundo. Foi o primeiro equipamento médico com certificação do FDA e CE, considerado o melhor para redução da celulite e circunferência. Permite tratamentos simultâneos no combate a celulite e a gordura localizada, como também reduz a flacidez corporal. Seu principal atrativo é ser indolor e com poucas sessões você nota os resultados. O tratamento é feito de forma concentrada em áreas específicas, potencializando seu efeito, podendo ser aplicado em todo o corpo.

 

Cellfina

Ainda não chegou ao mercado brasileiro, mas os resultados apresentados em congressos são animadores e prometem ser duradouros. O aparelho, do tamanho de um smartphone, possui uma agulha fina que rompe as traves fibrosas. A técnica é semelhante à subcisão, porém mais precisa e mais delicada.
Serviço:

Clínica Juliana Piquet