Busca Home Bazaar Brasil

IZA: Destruidora mesmo!

Ela largou a carreira na publicidade para se dedicar à música e logo estourou no YouTube. Hoje, a carioca IZA é uma das maiores promessas do pop nacional

by redação bazaar
Foto: Pino Gomes/Divulgação

Foto: Pino Gomes/Divulgação

Por Caio Menezes

Ela defende o discurso do empoderamento, tem estilo marcante e uma legião de fãs famosos nas redes sociais – de influenciadores a celebridades, como Paulo Gustavo e Jout Jout. Se você ainda não ouviu falar de IZA, prepare-se para seguir todos os passos dela em 2017.Aos 26 anos, a carioca largou a carreira na publicidade para realizar um sonho: viver de música. E as coisas estão dando tão certo que a cantora já fez barulho na indústria antes mesmo de lançar, oficialmente, sua primeira música. Depois de fazer sucesso noYouTube com covers de divas do r’n’b, a artista conseguiu emplacar sua faixa de estreia, Quem Sabe Sou Eu, na trilha sonora de Rock Story, da Globo. Hoje, ela desponta como um dos nomes mais promissores do novo pop nacional, ao lado de Anitta e Ludmilla. “Estou aqui para levantar a bandeira da intolerância ao racismo”, sai dizendo durante um papo divertido com Bazaar.

Tudo aconteceu muito rápido para Isabela Lima, essa virginiana de Olaria que, por um triz, não divide aniversário com Beyoncé – ela é de 3 de setembro, a americana, do dia 4.Apesar de estar em contato com a música desde criança (fez parte até de coral da igreja),sua carreira começou de verdade há apenas dois anos, quando largou o emprego em uma agência de marketing para focar na vida artística.“Minha mãe falou ‘graças a Deus’ quando eu contei. Foi engraçado, porque eu não enxergava isso como uma profissão para mim”,conta a carioca,filha de uma professora de arte e de um militar.

A cantora usou os contatos que fez na comunicação para divulgar os vídeos doYouTube para as pessoas certas, mas, ainda assim, o caminho não foi simples.“Foi difícil investir todo o meu tempo e dinheiro nisso. Chegou uma hora em que eu precisava de um retorno financeiro”, admite. A voz poderosa lhe rendeu milhares de cliques nos vídeos em que canta músicas de Adele, Sam Smith e Demi Lovato. O contrato parrudo com a gravadora Warner Music foi uma inevitável consequência.

Influenciada por poderosas do r’n’b, soul e funk, como Lauryn Hill,Tina Turner e Diana Ross,agora IZA prepara um repertório inspirador para falar diretamente com garotas que não se sentem representadas na mídia.“A primeira mulher de cabelo crespo que vi naTV foi a Aisha Jambo em Malhação”, relembra. Na infância e adolescência, a cantora fazia de tudo para se enquadrar nos padrões de beleza das garotas brancas.“Não tinha opção de estilo.Alisava tanto meu cabelo que nem sabia como ele era de verdade.” O jogo virou – e hoje ela exibe, com orgulho, as tranças afro.“Quero mostrar que quem sabe da nossa vida é a gente.”

Para passar essa mensagem, IZA se aproveita de um dos momentos mais plurais da música pop brasileira.“Tem muita coisa boa sendo feita no Brasil,que vai além de sertanejo,samba e funk”, crava. Em dezembro, a carioca divulga seus primeiros singles, sem ainda saber quando chega o álbum de estreia.Mas IZA tem uma certeza:“Vou entregar o melhor de mim”,promete.Whorunstheworld?