Busca Home Bazaar Brasil

Roteiros: artes visuais

by Felipe Stoffa
Pintura de Max Gómez Canle - Foto: Divulgação

Pintura de Max Gómez Canle – Foto: Divulgação

La Distancia Termina en el Barranco
Casa Triângulo
São Paulo

Até 23 de dezembro
Um dos mais importantes nomes da cena argentina contemporânea, Max Gómez Canle abre na galeria paulistana sua primeira individual, em que também celebra 20 anos de carreira. Com uma gama de pinturas minúsculas que apresentam um extremo refinamento de detalhes ao retratar figuras, objetos e paisagens, suas obras invadem o espaço expositivo e transformam parte da galeria em um labirinto. A mostra também celebra o lançamento da nova publicação do artista.

Desenho de Alvaro Seixas - Foto: @alvaroseixas

Desenho de Alvaro Seixas – Foto: @alvaroseixas

Muito Romântico Tour
Galeria Cavalo
Rio de Janeiro

De 23 de novembro até 19 de janeiro de 2018
Ideias do romantismo, no século 19, formam a base para a individual de Alvaro Seixas na galeria carioca. Doutor em história da arte, professor e artista visual, Seixas é conhecido por um extenso trabalho em pintura. Recentemente, começou a postar massivamente em seu instagram (@alvaroseixas) desenhos e frases ácidas contra o mundo da arte. Na mostra, a palavra Tour se torna uma sátira contra megaexposições, ao mesmo tempo em que lida com conceitos de individualidade e escapismo. Boa parte de sua produção satírica agora pode ser vista na exposição, que alfineta curadores, colecionadores, galeristas e até mesmo seus pares, como artistas, grupos e coletivos.

Intervenção de Fernanda Gomes - Foto: Divulgação

Intervenção de Fernanda Gomes – Foto: Divulgação

Fernanda Gomes
Galeria Luisa Strina
São Paulo

De 23 de novembro até 20 de janeiro de 2018
“Tantos planos de exposição! Gosto de imaginar e projetar, mais ainda porque sempre sai diferente. Cada exposição inclui muitas outras, vividas durante todo o processo”, escreve Fernanda Gomes para a sua oitava individual na galeria paulistana. Com uma pesquisa que gira em torno da pintura, escultura, espaço e luz, a artista carioca apresenta um conjunto recente de obras que, conforme diz, são uma extensão direta de sua prática no ateliê.

Obra de Adriano Amaral - Foto: Divulgação/Jaqueline Martins

Obra de Adriano Amaral – Foto: Divulgação/Jaqueline Martins

Rurais
Galeria Jaqueline Martins
São Paulo

Até 27 de janeiro de 2018
Água, ar, terra, materiais em estado bruto e outros tantos tipos de elementos se encontram no trabalho de Adriano Amaral, que agora abre sua primeira individual na Jaqueline Martins. Nascido em Ribeirão Preto, o artista atualmente reside entre São Paulo e Amsterdam, na Holanda. Com uma pesquisa que foca no encontro entre o corpo e aquilo que nos cerca, as obras expostas na galeria procuram criar uma relação entre o artificial e o espaço arquitetônico, com vídeos, objetos e instalações.

Sou Fujimoto - Serpentine Gallery, 2013 - Foto: Divulgação

Sou Fujimoto – Serpentine Gallery, 2013 – Foto: Divulgação

Futuros do Futuro
Japan House
São Paulo

Até 4 de fevereiro de 2018
Um dos maiores e mais admirados arquitetos do mundo, Sou Fujimoto foi responsável por inúmeros projetos de peso e um dos protagonistas da arquitetura japonesa contemporânea, que emprega em suas construções uma reconexão com a natureza. Agora, painéis e maquetes de suas construções mais emblemáticas, como o pavilhão construído nos jardins da Serpentine Gallery, em 2013, são apresentados na mostra que fecha o calendário de 2017 da Japan House, em São Paulo, e ocupa os dois andares expositivos.

Granada - Foto: Rubens Jr Crispim

Granada – Foto: Rubens Jr Crispim

Arquivo Bijari 1997-2017
Galeria Anti-Pop
São Paulo
De 2 de dezembro até 3 de fevereiro de 2018
Formado por estudantes de arquitetura e urbanismo da USP que se encontraram ao longo dos estudos, nos anos 90, o grupo iniciou sua trajetória em um espaço na rua Bijari, no Butantã. Formado por artistas, videomakers, designers e arquitetos, o grupo começou sua trajetória atuando no design. Atualmente, produzem trabalhos em diversas áreas artísticas. Esses 20 anos de trajetória são comemorados na exposição Arquivo Bijari, com mais de 40 obras e registros de ações do coletivo, sediada pela galeria Anti-Pop, em Pinheiros. “É consenso entre nós quais são os projetos mais interessantes, as imagens mais fortes e as ações que ainda repercutem. Os trabalhos que ainda ecoam e permitem ser revistos com um frescor, mesmo 15, 20 anos depois, são aqueles que escolhemos mostrar nessa retrospectiva e que nos representam melhor como grupo”, disse Maurício Brandão, um dos integrantes do grupo.

Instalação de Caio Reisewitz - Foto: Divulgação

Instalação de Caio Reisewitz – Foto: Divulgação

Tiago Tebet – AAAAAhhh!!!
Caio Reisewitz – Vitrine
Galeria Luciana Brito
São Paulo

Até 20 de janeiro de 2018
Sete pinturas e uma escultura compõem a terceira individual de Tiago Tebet na Luciana Brito. As obras, inéditas, possuem uma discussão em comum e um diálogo com a cultura popular e da periferia de São Paulo, além do trabalho com elementos arquitetônicos, temas são recorrentes e discutidos ao longo da pesquisa do artista. Enquanto isso, Caio Reisewitz apresenta uma instalação produzida especialmente para a galeria, situada em uma residência projetada originalmente pelo arquiteto Rino Levi. Antes da galeria se mudar para o local, em 2016, o artista visitou o espaço vazio e formulou um site-specific que dialoga com o projeto arquitetônico e envolve também seu jardim, desenhado por Burle Marx.