Busca Home Bazaar Brasil

Todas as peles de Oskar Metsavaht

Prestes a inaugurar seu estúdio/galeria no Rio, Oskar Metsavaht invade o cinema e o teatro como fotógrafo e fala sobre seu trabalho na moda, arte e ciência

by Guilherme Rodrigues

por Cynthia Garcia 

Autorretrato de Oskar Metsavaht. Na pág. ao lado, Self Portrait (2017)

Autorretrato de Oskar Metsavaht. Na pág. ao lado, Self Portrait (2017)

ESTE ANO, Oskar Metsavaht, sinônimo de Osklen, invadiu o cinema com as fotografias que clicou para o personagem fotógrafo de Selton Mello no filme cultSoundtrack“, expostas em julho no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo. Em setembro, também na capital paulista, ele aterrissa no teatro a convite da diretora Bia Lessa, que leva Grande Sertão:Veredas, de Guimarães Rosa, ao foyer e palco do SESC Consolação. Os 250 bonecos de feltro de tamanho humano da peça foram confeccionados com apoio do Instituto-E/Osklen, e as fotos do protagonista Diadorim são de autoria de Oskar, o médico que abraçou a moda e vem demonstrando uma monstruosa capacidade de criar e, desde 2010, firmar seu nome na arte contemporânea.

EM NOVEMBRO, VOCÊ INAUGURA SEU ESTÚDIO/GALERIA NA VILA PORTUGAL, ONDE A FORTES D’ALOIA & GABRIEL E A NARA ROESLER TÊM SUAS GALERIAS NO RIO. COMO BATIZOU A NOVA EMPREITADA?
Ainda está sem nome e não é uma galeria. É um espaço multidisciplinar, com projeto de arquitetura meu e da Bel Lobo, onde também terei meu estúdio. Haverá conteúdos de reflexão contemporânea sobre arte, ciência, política, economia, filosofia por meio do olhar dos curadores e de intelectuais convidados.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O ESPAÇO SERÁ INAUGURADO COM QUE TIPO DE MANIFESTAÇÃO?
Abrirá com PeriHélio, obra inédita do Hélio Oiticica.Trata-se do penetrável Tenda Luz que ele criou para o filme Gigante da América, dirigido pelo Bressane, em 1979.A exposição tem curadoria da galerista Laura Marsiaj.

E O SEU PRIMEIRO PROJETO DE ARTE PARA O ESPAÇO, QUAL SERÁ?
Não tenho programada nenhuma exposição minha no meu espaço. Não será um local de exposições do meu trabalho. Quem vai determinar são os curadores, eles escolherão os artistas. Se selecionarem algum trabalho meu, tudo bem.

COMO ESTÁ SUA COLABORAÇÃO COM O ARTISTA PLÁSTICO BELGA ARNE QUINZE?
Já tivemos reunião sobre conceito e iniciaremos o projeto este mês. Gosto muito do trabalho dele e da forma como conceitua suas obras. Estamos bem entusiasmados. Só posso adiantar que será montado em São Paulo, em 2018.

A MODA TEM AINDA LUGAR NO SEU CORAÇÃO, DR. OSKAR?
(risos) Gostei do Dr. Oskar! Gosto de moda tanto quanto de ciência e de arte.Associo-as como experiências de aprendizado e de prática, isso é o que me turbina. Por meio delas expresso minha formação acadêmica nas Ciências Humanas e minha prática de criação e design, que é a moda da Osklen. Nestas quase três décadas, venho trabalhando minha veia criativa na plataforma moda/arte/ciência, a fórmula que deu na Osklen e no seu sucesso.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O QUE O MOVE COMO ARTISTA PLÁSTICO?
Diferentemente da moda, na arte, minha expressão não se baseia em necessidades materiais, ao contrário, é algo visceral, espiritual. Preciso sempre de plataformas para me expressar. Em algumas, tenho mais experiência, em outras não. Esses desafios me movem, me completam.

E ESSE ZUNZUNZUM DE QUE VOCÊ VAI LARGAR A MODA?
Largar a moda? Jamais! Pouca gente conhece minha metodologia na moda, daí não entenderem como consigo me dedicar à moda e à arte.Tenho meus espaços e meu tempo separados, meu estúdio de moda na Osklen e meu estúdio de arte. Há uma complementaridade nas duas atividades, muitas das pesquisas na Osklen servem de experiência às minhas obras. Já minhas fotografias, pinturas e meus vídeos fazem o caminho inverso, podem servir de inspiração para as equipes de design da Osklen.

ENTÃO, VOCÊ TEM MESMO ALMA DE ARTISTA, OSKAR?
Alma de artista, sempre tive, né?