Busca Home Bazaar Brasil

Verena Smit conta sobre seu trabalho para a #GucciGram

Artista é a única brasileira na lista dos selecionados por Alessandro Michele para o projeto

by elav
Pasted Graphic por Verena Smit para #GucciGram - Foto: Divulgação

Pasted Graphic por Verena Smit para #GucciGram – Foto: Divulgação

Por Paula Jacob

Bazaar já mostrou aqui o trabalho delicado de Verena Smit, fotógrafa brasileira que explorou para além das imagens, o significado de palavras e o ressignificado delas. Com mais de 100 mil seguidores no Instagram, Verena chamou a atenção de ninguém menos que Alessandro Michele, diretor criativo da Gucci, que lançou recentemente o #GucciGram.

O projeto da marca, que ganha cada vez mais destaque com o olhar apurado do estilista em todos os âmbitos, reúne os melhores nomes artísticos para fazer a releitura livre de duas novas estampas. Bazaar conversou com Verena, única brasileira envolvida, que nos contou todo o processo e suas sensações diante de tal convite. Confira:

Harper’s Bazaar – Como você recebeu o convite para esse projeto da Gucci?
Verena Smit - O convite foi feito por email pelo diretor mundial de mídias digitais da Gucci, locado em Milão. Ele explicou sobre o GucciGram, disse que o próprio Alessando Michele tinha selecionado os artistas e se eu estava interessada em participar.

HB – Qual a sensação de ter sido escolhida?
VS - Pra ser sincera, primeiro eu não acreditei. Fui ver se não era um email falso. E aí reli mil vezes e fiquei eufórica. Foi realmente uma sensação incrível. Acho isso demais na internet, nunca sabemos quem está ali stalkeando a gente.

Pasted Graphic por Verena Smit para #GucciGram - Foto: Divulgação

Pasted Graphic por Verena Smit para #GucciGram – Foto: Divulgação

HB – Conte um pouco sobre o projeto.
VS - O #GucciGram é uma parceria artística entre o estilista da Gucci e alguns artistas. Ele nos deu a liberdade de criarmos livremente nossa interpretação das duas novas estampas da marca. O próprio Alessandro é super conectado e tem um grande interesse, não só na questão da arte e moda, mas como o tema é super atual e pode se cruzar.

HB – Como você desenvolveu a sua foto?
VS - Essa é uma pergunta bem difícil. Mas é engraçado, porque dois dias antes do email da Gucci eu estava super frustrada, achando que estava produzindo tudo em vão. Meio em crise mesmo. E aí veio a proposta. Isso mostrou que eu tenho que continuar seguindo minha intuição e fazendo o que eu acredito. Mas quero cada vez mais tirar do digital e ir pro real. Ou ter os dois, mas saber dividir os conteúdos. E ir além da fotografia também. Agora tenho feito as palavras riscadas bordadas em tecido.

HB – Como você enxerga a moda e a fotografia?
VS - Uma serve de inspiração e referência para a outra e vice-versa. E não é de hoje.

Pasted Graphic por Verena Smit para #GucciGram - Foto: Divulgação

Pasted Graphic por Verena Smit para #GucciGram – Foto: Divulgação

HB – Qual característica do seu trabalho que faz liga com a moda?
VS - Nunca parei pra pensar nisso. Mas acho que tem uma coisa que de certa forma é bem semelhante a moda e igualmente importante: a identificação. Na moda, as pessoas se identificam com uma peça seja por uma questão histórica, cultural e até mesmo da memória. Sinto que as pessoas se identificam muito com o que eu faço e “falo”.

HB – Qual sua relação com a Gucci? Alguma história em particular?
VS - Gosto de moda e acompanho, mas confesso que a Gucci nunca tinha me encantado muito. Quando o Tom Ford desenhava, tinha uma sobriedade interessante, mas sempre achei tudo muito sexy. Me ‘identificava’ pouco. Mas recentemente, até antes do convite, me deparei em algum site de moda com um vestido vermelho da nova coleção feita pelo Alessandro e enlouqueci. Achei tudo extremamente moderno, mas ao mesmo tempo super delicado. Parece que ele está falando de tudo ali, sobre a questão dos gêneros, do mundo contemporâneo, de arte…. agora virei fã da Gucci (risos)