Busca Home Bazaar Brasil

Ilhas Maurício: um roteiro pelo paraíso do oceano Índico

Patricia Mattos, do LeBlog, dá suas dicas deste pedacinho do continente africano

by redação bazaar
Vista incrível das Ilhas Maurício - Foto: Divulgação

Vista incrível das Ilhas Maurício – Foto: Divulgação

Por Patricia Mattos

República de Maurício, Mauritius ou Ilha Maurício – como é mais conhecida no Brasil – é uma nação insular na costa sudoeste do continente africano, próxima a Madagascar, com águas azul-turquesa e um visual que parece de filme. Sem filtros! Fica entre a África e a Ásia, a quatro horas de voo de Joanesburgo, e tem uma cultura incrivelmente diversificada, um mix de africanos, indianos, muçulmanos e europeus.

 

Embarquei com uma amiga em uma viagem de cinco dias. Na mala, levei o de sempre para meus destinos de praia: biquínis, protetor solar, chapéu e muitos livros.

 

O Dinarobin visto por cima - Foto: Divulgação

O Dinarobin visto por cima – Foto: Divulgação

Nos hospedamos em dois hotéis incríveis da rede Beachcomber, que possui mais seis resorts em Mauritius. O primeiro foi o Dinarobin, que fica na península de Le Morne, Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, na deslumbrante costa sul. Na encosta de uma imponente montanha, é rodeado pelo Índico e tem um extenso areal branco perfeito para boas caminhadas. Me surpreendi com a quantidade de atividades ao ar livre – de passeios em barco com fundo de vidro a caiaque, mergulho com snorkel, windsurf e até mesmo exploração da ilha de bicicleta. Entre um programa e outro, ficava horas nas espreguiçadeiras à beira das piscinas, no maior sossego.

 

Detalhes do resort do Dinarobin: o bar da piscina e o bar da praia- Fotos: Divulgação

Detalhes do resort do Dinarobin: o bar da piscina e o bar da praia- Fotos: Divulgação

A gastronomia é um caso à parte. Foi delicioso o jantar no italiano Il Gusto, no deck da piscina principal, com referências toscanas. À sombra de palmeiras, o La Plage serviu mariscos frescos de comer de joelhos e, além do tradicional almoço ao mar, adorei participar da “noite da lagosta”.

 

Um momento único da viagem aconteceu no dia em que visitei o Casela Nature Park, no oeste da ilha. É lar de uma imensa variedade de fauna e flora. Encontramos aves, onças, zebras, tartarugas gigantes, macacos de cauda longa e outras mil espécies.  O parque é cheio de cores, e me encantei com a árvore ébano, que tem grande destaque na vegetação de Mauritius. E lá tem pescaria, tirolesa, canoagem, escalada…

 

O melhor do Royal Palm: piscina natural, o spa e fachada do hotel - Fotos: Divulgação

O melhor do Royal Palm: piscina natural, o spa e fachada do hotel – Fotos: Divulgação

Já no Royal Palm, o segundo hotel do roteiro, me senti em um refúgio com o que há de melhor em experiência de luxo. Tudo feito para preservar a atmosfera dali. As piscinas, construídas ao longo da areia e de frente para a lagoa, dão um clima chique e tropical. A praia é linda, de areia branquinha e com mar azul-piscina. Podia estar dentro do filme A Lagoa Azul. Tudo é agendado logo no momento da chegada, como stand-up paddle, vela e wakeboard.

 

Na minha suíte, com varanda de frente para aquele mar, amei os mimos. Tinha até papel de carta timbrado com meu nome. Sem falar na cozinha, comandada pelo premiado chef francês Michel de Matteis. No Le Bar Plage, o cheeseburger acompanhado de batatinhas fritas trufadas foi um dos melhores que já provei.

 

Ao sair da praia, dava uma passadinha no Spa by Clarins, que abrange mil metros quadrados de muita natureza, calma e tranquilidade. Grandes surpresas na ilha chamada Mauritius, simplesmente inesquecível!

 

Outros passeios pelas ilhas, Por Felipe Stoffa

 

Château de Labourdonnais

 

Construída em 1856, a casa colonial é uma das mais antigas da ilha. Hoje é um museu que preserva a história local e da família Wiehe, influentes figuras do século 19 que residiram ali. A instituição também oferece degustações de rum produzidos nas redondezas e de sabores deliciosos.

 

Ganga Talao

Gaga Talao - Foto: Divulgação

Gaga Talao – Foto: Divulgação

Conhecido também como Grand Bassin, o templo hinducontorna a borda de um imenso lago em uma cratera. Perfeito para meditar e conhecer as estátuas de Shiva e Durga, que medem 33 metros. Similares a essas somente na Índia! Como cerca de 70% da população local é composta por descendentes de indianos, existem diversos outros templos por lá, além de budistas, sinagogas, igrejas católicas e mesquitas.

 

Port Louis

Capital de Mauritius, a cidade é um must go. Desde a arquitetura colonial até imensos arranha-céus, lá existem mercados de rua, museus, parques (vale a pena também ir ao Jardim Botânico, que fica nas redondezas), restaurantes e lojinhas incríveis. Boa opção para conhecer um pouco mais sobre a vida local e a história da ilha.

 

Bike discovery

Baie du Cap - Foto: Divulgação

Baie du Cap – Foto: Divulgação

Que tal um passeio de quatro horas pela ilha? Reserve um dia para alugar uma bicicleta – ela é elétrica, ok? – e escolha um dos roteiros oferecidos pela ElectroBike Discovery. Você pode visitar locais deslumbrantes, como a terra das sete cores – de solo vulcânico – , praias e, o melhor, percorrer a Baie du Cap, uma das estradas mais lindas do mundo.