Busca Home Bazaar Brasil

Verão 2013: tropical, SPFW apresenta coleções em que as cores do mar, do sol e da floresta se destacam

by elav

Por Pedro Diniz

O São Paulo Fashion Week começa no próximo dia 11.06 com novidades que devem esquentar a temporada nacional de verão 2013. Seja mirando o mar – ponto de partida de gigantes como Ellus, Osklen e Iódice –, a Amazônia – como faz Ronaldo Fraga, que, assim como a Forum, volta à passarela –, ou o trabalho de nossos artistas – aposta das grifes Maria Bonita e Uma –,  esta edição, que acontece mais cedo este ano, será uma das mais tropicais dos últimos tempos.

Além da antecipação do calendário e do troca-troca de marcas entre as duas semanas de moda – como a chegada da Têca, que sai do Fashion Rio para integrar o line-up paulista, e a ausência de Cia. Marítima e Poko Pano, que fazem o caminho contrário – as coleções se aproximam cada vez mais da cultura nacional.

Tropical, sim, mas de olhos bem abertos para o mundo. Vide Alexandre Herchcovitch, que percebeu no inglês Boy George o tema de sua coleção chique e cheia de cor. E a Triton, que apesar de olhar para o Japão, promove um jogo de estampas e colagens que tem a nossa cara.

O tema desta temporada, “A sustentabilidade por meio da transformação do indivíduo” – mote para as exposições e o cenário que o arquiteto Marcelo Rosenbaum organiza na bienal do Ibirapuera, onde acontecem os desfiles -, resume bem o que mais veremos na passarela: combinações de verde, amarelo, azul e branco. Mais Brasil, impossível!

Alexandre Herchcovitch
O designer faz mistério quanto ao seu desfile no SPFW, mas adianta que a coleção de verão 2013 será inspirada nas roupas usadas pelo cantor Boy George, ex-vocalista da banda Culture Club, ícone dos anos 80. A cartela, assim, flerta com o new wave – há amarelo, cereja, laranja, marinho, roxo, pink, entre outras cores fortes. Já os tecidos, luxuosos, vão da seda pura ao cetim duchese de algodão. Alexandre propõe looks versáteis, como vestidos-camiseta e chemises.

Ellus
Foi um mergulho noturno no oceano que inspirou Adriana Bozon a conceber o próximo verão da Ellus. A experiência sombria da imersão em águas profundas é traduzida em cores como azul marinho, branco e preto, e nos tecidos tecnológicos, como Leather Denim, Leather Denim Metallic e Denim Neoprene. Couros, seda e organza completam a gama de materiais usados pela grife, que se propõe a reinventar a alfaiataria e evoluir o estudo de seu jeanswear deluxe.

Uma
Raquel Davidowicz não quer complicações estéticas em sua coleção, e sim “algo palatável e bonito”. Para tal, evoca o primitivismo e a geometria do artista plástico Macaparana para criar um verão luxuoso, que explora a “pureza das formas” e é rico em combinações de preto, azul cobalto, bege e tangerina. Os tecidos, colados a laser, se misturam nas silhuetas recortadas. Raquel também lança uma linha de festa composta de dez looks, “mais sofisticados”, de paetê tinturado, seda e tafetá. Os acessórios, de borracha, são de Lia Menna Barreto.

Gloria Coelho
A estilista continua sua saga por territórios pouco conhecidos pelo ser humano, apostando no que chama de “simularidade” para explorar sistemas binários, evolução tecnológica e seu impacto sobre a vida do homem. Vestidos transparentes, cores neutras – como o nude –, além dos conhecidos “neutrinos” de sua coleção passada, traduzidos em maxipoás estratégicos, promovem um jogo de esconde e revela característico da imagem que propõe Gloria.

Vitorino Campos
O estilista baiano estreia no SPFW com peças de design limpo e vestidos feitos, basicamente, à mão. Sob o tema “Não Tradução”, o designer quer explorar o comportamento humano e suas facetas intraduzíveis, como o individualismo e as “personalidades antagônicas”. A base do seu trabalho é a seda, trabalhada em uma enxuta cartela em que predominam o preto, off white e branco. “Não levanto a bandeira da alta-costura, mas minhas peças têm um estudo perfeccionista de modelagem”, afirma Campos.

Têca
A coleção da Têca tem como mote o livro Volta ao Mundo em 80 Dias, de Júlio Verne. Bússolas, relógios e outras referências à obra servem de estampas para roupas-lenço de pegada sexy, mas, ainda assim, comportadas. A cartela passeia por tons pastel – do amarelo ao verde-água –, laranja e preto. Uma viagem que também acontece na ponte aérea, já que, depois de oito temporadas no Fashion Rio, a grife de Helô Rocha passa a integrar o line-up do SPFW. “A marca é paulista e não fazia mais sentido desfilar lá, mesmo que nossas roupas tragam o frescor carioca”, diz a estilista.

Triton
Duca Simões assina as estampas do próximo verão da Triton, que investe pesado nas colagens feitas pelo artista plástico para conceber uma coleção inspirada no Japão. O contexto urbano e a arquitetura do país são mescladas em tecidos ora estruturados, ora leves e fluídos. A estilista Karen Fuke aposta que, com a subida dos termômetros, as peças desconstruídas tem tudo para virar hit.

Tufi Duek
O estilista Eduardo Pombal segue fiel ao DNA da marca que leva o nome de seu fundador, lançando mão de técnicas apuradas para conceber peças – entre vestidos e jaquetas – inspiradas em flores. As formas, texturas e cores das plantas são transportadas para tecidos naturais, com variações de brancos, verdes, amarelos e rosas na cartela. De acordo com Pombal, a jaqueta perfecto em renda guipire será a peça-desejo desta temporada.

Ronaldo Fraga
O designer continua sua viagem pelo Brasil, pescando peculiaridades de diferentes regiões para traduzi-las em objetos de desejo. Para o verão 2013, lança mão de sementes da floresta amazônica paraense e desenvolve, em parceria com 40 mulheres da cidade de Tucumã, uma linha de biojoias que é o ponto de partida da coleção. A volta para o SPFW – Ronaldo pulou a edição passada – será marcada, segundo ele, pela “mimetização de texturas e estampas em tons de azul, verde, crus e madeiras”.

Forum
A grife volta a desfilar com toda a pompa e circunstância que a ocasião pede. O retorno às passarelas terá direção artística da italiana Viviana Volpicella. Nas roupas, destaque para as estampas do ilustrador Filipe Jardim. A marca de jeanswear retorna aos holofotes mais comercial e focada em um público jovem. Sua estilista, Marta Ciribelli, promete peças coloridas e um show à altura para a marca que completa 30 anos no mercado.

Iódice
O balanço incansável da água e os efeitos produzidos por esse movimento inspiram o verão da marca. A grife não deixa de fora a sensualidade característica de suas peças, mas injeta pureza ao explorar cores como azul, rosa e amarelo na cartela. Borrifadas de seda, metalizados e um forte jogo de texturas dão a cara dos looks. A grife abusa da estamparia em cores fortes e contrastantes. “A água é o tema central, logo, fará parte do cenário. Mas isso é surpresa”, afirma Valdemar Iódice.

Samuel Cirnansk
Com um casting de new faces (quase todas com menos de 20 anos), o desfile de Samuel será, segundo ele, uma “ode ao belo e ao estranho”. O ponto de partida são os seres exóticos das águas abissais e mulheres virgens, “como a atriz Brooke Shields no filme A Lagoa Azul. Seus vestidos dramáticos – de tule e musseline – vêm cheios de aplicações, entre as quais estão brilhantes conchas mexicanas. O estilista lançará na passarela uma linha de acessórios para noivas, composta por diademas e pentes feitos de ouro, madrepérola e diamantes.

Osklen
“A Osklen volta à praia”. Segundo o diretor criativo da grife “made in Rio”, Oskar Metsavaht, a afirmação nada tem a ver com o termo “lifestyle carioca”, “que insistem em nos creditar”. O fato é que a marca revisita os últimos dez anos de sua história em uma coleção que “não é futurista, nem retrô, é apenas presente”, e que parece marcar sua fase menos estruturada. Tecidos como algodão, linho e seda dão forma a roupas inspiradas em um “dia na praia, do amanhecer ao crepúsculo”. Espere uma cartela composta de azuis, amarelos, verdes e beges.

Neon
O artista plástico francês Yassin Lahmar observou os efeitos que guardanapos e lenços dobrados podem produzir e, a partir deles, criou as novas estampas da Neon. Elas servirão de base para “looks inusitados, solares e alegres”, de acordo com Dudu Bertholini, à frente da grife ao lado de Rita Comparato. Baianas, frutas e animais irão se materializar nas roupas de espírito tropical e otimista que fazem a fama da marca

Fernanda Yamamoto
Para o verão 2013, a designer buscou referências nos trabalhos de Luis Barragán e Hélio Oiticica para compor looks de tons fortes e bem simétricos. Espere laranjas vibrantes, padrões de jaquard geométricos, muita transparência e bordados aplicados em tule. Segundo Fernanda “as combinações continuam fortes, mas a coleção está mais ousada na combinação das cores, nos materiais e na forma.