Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

Em muitas famílias e lugares, tratar problemas simples de saúde com plantas é uma prática comum, fazendo parte até da própria cultura local. Passar os ensinamentos acerca dos benefícios de cada uma é uma tarefa que reforça os laços entre os integrantes do grupo, além de permitir uma terapia de caráter mais natural.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Para validar o tratamento realizado por meio de plantas, assim como sua utilização correta, o Ministério da Saúde criou o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, propondo a inserção de plantas medicinais, fitoterápicos e serviços relacionados à fitoterapia no SUS. Assim, há a manutenção de práticas populares, incentivo à agricultura familiar, que pode fazer parte da cadeia de produção das plantas, fomento à pesquisa e criação de alternativas para um uso sustentável da biodiversidade.

Seguindo essa linha, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) lançou o Memento Fitoterápico, obra que reúne 28 plantas medicinais, com nome científico, nome popular, benefícios e contraindicações.

Dor de ouvido, queimadura leve, desconforto abdominal, entre outros problemas leves que não apresentam necessidade de ajuda médica imediata, podem ter como solução uma planta ou flor medicinal, facilmente encontradas em uma floricultura. Confira seis fitoterápicos que podem ser de grande ajuda no dia a dia.

Alho
Pode ser usado no auxílio de problemas circulatórios e contra o colesterol alto em paralelo com auxílio médico especializado. Na hora de consumir, faça uma maceração com 1 colher de café (0,5 g) de alho em 30 ml de água. Tome 1 cálice desse preparado duas vezes ao dia, antes das refeições. O tratamento com alho não é recomendado para pessoas com gastrite, úlcera, pressão baixa ou hipoglicemia.

Babosa/aloe vera
É recomendado para o tratamento de queimaduras de primeiro e segundo grau, além de ter propriedades de cicatrização. Ele é usado na forma de gel ou pomada, que deve ser aplicado sobre a ferida. Não existem contraindicações, mas é preciso ficar atento a possíveis alergias em relação à planta.

Bálsamo
Tipo de planta suculenta que exige poucos cuidados, o bálsamo é um ótimo anti-inflamatório. Para usar, basta retirar algumas folhas de aspecto carnoso e aquecê-las por alguns minutos; a seguir, deixe esfriar. Depois desse processo, a folha começa a pingar um óleo, que pode ser aplicado em lesões e até mesmo dentro do ouvido, aliviando a dor. Contraindicado para pessoas com hipersensibilidade.

Boldo-da-terra/falso-boldo
Facilmente cultivado em casa, o boldo é um ótimo aliado contra má digestão, flatulência e constipação. Ele pode ser usado na forma de chá, fervendo algumas folhas, ou na forma de cápsulas. É contraindicado para gestantes e em caso de obstrução da vesícula biliar.

Calêndula
A flor, também conhecida como mal-me-quer, é normalmente usada como cicatrizante, anti-inflamatório e antisséptico. A pomada, gel ou creme produzidos da flor devem ser aplicados sobre a lesão. Sua administração não é recomendada em pessoas gestantes.

Guaco/Erva de Bruxa
Originária do Sul do Brasil, ela auxilia no combate à tosse e a outros problemas respiratórios. É usada na forma de chá, após a fervura de folhas da planta com água. Deixe a mistura em repouso por dez minutos antes de ingerir. Não é recomendado em doses elevadas ou para mulheres com menstruação abundante, por aumentar o fluxo.