Foto: Laura Chouette/ Unsplash

Por Thaís Mota

Quem um dia considerou o ativismo de sofá pejorativo, mal pôde prever a diferença que o poder de um clique traria para a realidade presente. Paralelamente à expansão da internet, cresce o número de ativistas compostos, principalmente por millennials e a geração Z, na luta pelos mais diversos interesses – muitas vezes sem sair de casa.

Pesquisas do “The Millennial Impact Report”, realizadas em 2018, revelaram um impulso de propósito dos entrevistados para se envolver em causas e movimentos sociais, além de criar novas ideias para colocá-los em prática. Segundo o relatório, em 2016, 86% dos participantes afirmaram que podem fazer a diferença no mundo – e isso não precisa de números para se comprovar.

Sejam sociais, raciais, ambientais ou de gênero, as causas vêm tomando conta das redes e alcançando cada vez mais pessoas, transformando o ativismo digital em uma poderosa ferramenta de transformação, especialmente neste momento de reclusão, consequente da pandemia do coronavírus. Você também pode fazer parte disso!

Saiba como apoiar movimentos sem sair de casa:

1. Compartilhar na web informações checadas

Se informar por mais de uma fonte e compartilhar informações apuradas é a forma número um de ajudar no combate às fake news – o terror dos últimos anos. Além de estar por dentro das notícias de seu interesse de forma segura, também facilita na hora de responder aquela mensagem duvidosa que sempre aparece nos grupos de família.

2. Assinaturas em petições online

As petições são documentos com solicitação e assinatura coletiva de um pedido que será enviado a uma entidade, empresa ou pessoa. A Change.org é a maior plataforma de abaixo-assinados do mundo: a cada hora, uma petição do site consegue vitória. De acordo com o “Change.org Impact Report 2018”, as campanhas tiveram um impacto ao educar e influenciar as pessoas, obrigando os tomadores de decisão a abordar questões e se mobilizarem, mudando o senso – e a vida – de milhões de pessoas. As assinaturas já contam 66.212 vitórias em 196 países.

Foto: Corinne Kutz/ Unsplash

3. Ampliar a discussão da causa

A criação de conteúdo digital, bem como posts, enquetes, caixa de perguntas, é uma excelente forma de ouvir opiniões diferentes, sair da sua bolha, e encontrar uma forma de ampliar a discussão de uma causa. As ferramentas digitais são ótimas aliadas para disseminar informação: mas é preciso saber utilizá-la para o bem.

4. Visibilidade nas redes

Falando sobre as ferramentas digitais, o uso de hashtags é uma estratégia para engajar a causa e fazer com que ela tenha maior visibilidade. Quem nunca ouviu falar que tal assunto foi parar nos “trending topics” do Twitter? Quanto mais cliques, maior a atenção àquele tema.

5. Pesquise e questione entidades políticas

Por último, mas não menos importante, pelo contrário: é um dever de todo cidadão pesquisar a fundo o histórico de seus candidatos. Saber quais causas são prioridades nas propostas de cada político e questioná-los sobre suas ações nas redes sociais ou e-mails são mais uma forma de exigir transparência e ecoar um conjunto de vozes – muitas vezes silenciadas. Para facilitar, clique aqui para encontrar o contato dos deputados e aqui para falar com os senadores.

Se engajar em uma causa e promover a diferença nunca foi tão fácil! Indicamos três ativistas incríveis e que valem o seu follow no Instagram: @giovannanader, @alexandrismos e @hanakhalilal.