Ronaldo Silvestre – Foto: Agência Fotosite

A quinta-feira (26.11) marcou o primeiro dia de desfiles do Brasil Eco Fashion Week, que acontece de forma virtual via transmissão no Youtube. Foram seis apresentações de marcas brasileiras que você descobre abaixo:

Nuz Demi Couture

Criada em 2015 pela estilista gaúcha Duda Cambeses Souza, a Nuz alia técnicas de costura tradicional com um olhar experimental e lúdico. A marca trabalha com uma coleção-base contínua, atemporal, confortável e múltipla – a mesma peça se desdobra em várias com seu potencial de transformação nas diferentes formas de utilização.

Nalimo

Artvista indígena e stylist, Dayana Molina comanda a Nalimo, marca que faz design atemporal, consciente e sem gênero.

Ronaldo Silvestre

 

Ronaldo Silvestre é um estilista mineiro. Ele foi vencedor do 3o. Prêmio ECOERA, que analisa e premia práticas sustentáveis nas indústrias de moda, beleza e design. Iniciativa criativa pela especialista em sustentabilidade e consumo consciente Chiara Gadaleta, a premiação procura incentivar e chamar atenção para abordagens conscientes na criação de produtos, em uma nova era para a moda.

A marca homônima do estilista venceu na categoria Gênero, que avalia o esforço das empresas para avançar na igualdade de gênero e empoderamento feminino. Ronaldo criou o Instituto Tecendo Itabira em 2009, depois de ver, em sua cidade, uma grande população de mulheres sem nenhuma fonte de renda.

Além do trabalho artesanal e tecidos feitos de matéria-prima reciclada, Ronaldo promove o protagonismo cultural da comunidade.

Studio

Em 2013, a estilista Gi Caldas criou a marca feminina Fridoka & Fridoquis, mas com o tempo se tornou agênero e precisou de um reposicionamento, que em 2019 levou à . A essência sustentável foi mantida, porém a estilista percebeu que sustentabilidade apenas como processo e sem educação de consumo, é utopia. Hoje a marca une o slow living, o agênero, a alfaiataria, com novas práticas de consumo que inclui manutenção e descontos de peças usadas da marca por novas da coleção.

AfroRicky

A AfroRicky foi criada em 2008 e lançada oficialmente em 2012. A marca apresenta uma fusão entre a cultura tradicional africana e a moda contemporânea. A marca, comandada por Ricância “Ricky” Agira, também oferece projetos personalizados, com desenhos feitos sob encomenda e consultoria sobre estampas africanas e impressão.

Desde as coleções anteriores, as estampas aprofundam a questão sobre o espaço de influência dos países africanos, sua indumentária e expressão cultural na moda das últimas décadas. A marca pretende ter o papel social de estimular outros designers africanos a proporem uma moda que influenciem homens e mulheres de todo o mundo a se sentirem confiantes com um estilo corajoso e original.

Natural Cotton Color

As empresas que compõem o grupo Natural Cotton Color, sob a liderança de Francisca Vieira, além do algodão colorido, agregam aos seus produtos nos segmentos de moda feminina, masculina, infantil e decoração um verdadeiro exército de plantadores de algodão colorido, rendeiras, bordadeiras e artesãos de toda região Nordeste do Brasil, principalmente da Paraíba.

Todos trabalham com remuneração digna e muita autoestima, constituindo assim um exemplo de cadeia produtiva sustentável social e ecológica na indústria da moda brasileira.