Foto: Divulgação

Por Chiara Gadaleta

A moda integrada à sustentabilidade ambiental, social, cultural e econômica está cada vez mais em pauta. Sinal dos novos tempos onde, de um lado, estão os consumidores cada vez mais conscientes e até ativistas, e do outro, marcas dispostas a ingressarem de uma vez por todas na jornada da transparência e responsabilidade em seus processos e produtos.

Em mais uma colaboração inovadora, Flavia Amadeu Design se uniu à Witt Design Estúdio para lançar os primeiros óculos de impressão 3D com deposição de carbono de poluição. Cada óculos contém sete metros cúbicos de nanopartículas de carbono que seriam emitidas para a atmosfera. Essas partículas são captadas pelo laboratório da Shaire, empresa também colaboradora do projeto, que desenvolveu um sistema para capturar o carbono proveniente da emissão de gases poluentes e transformá-las em um material inerte que pode ser aplicada a diversos fins.

Foto: Divulgação

Os óculos A+W vêm acompanhados de estojo exclusivo de borracha amazônica e paninho de algodão orgânico. Cada modelo leva o nome de rios acreanos. Promovendo um guarda-roupa de menor impacto, a plataforma de vendas de luxo Farfetch lançou recentemente a ferramenta Fashion Footprint – pegada de moda – com o objetivo de fazer com que os clientes possam analisar sua pegada ambiental ao fazerem suas compras.

Pulando para o mundo do esporte, a ASICS apresentou uma nova linha com poliéster reciclado feito de garrafas PET, a Edo Era Tribute Pack. A parte superior de todos os modelos empregam fibras de poliéster recicladas feitas de um total de cerca de 300 mil garrafas PET. Essa linha representa o primeiro passo da ASICS em direção ao uso 100% de fibras de poliéster recicladas em todas as suas partes superiores dos calçados até 2030, para ajudar a combater as mudanças climáticas.

Além do menor uso de materiais, também houve a troca de tintas à base de óleo para tintas à base de água, que acabam rendendo muito mais. Além disso, as caixas de tênis sustentáveis serão gradualmente sendo substituídas de forma que, até 2021, reduzirão as emissões anuais de CO2 da ASICS em aproximadamente 1.200 toneladas.

Foto: Divulgação

Com a reciclagem no radar e em ação, a Vert, uma das vencedoras do Prêmio Ecoera, acaba de construir uma loja do futuro em Bordeaux na França. Em parceria com o núcleo ativista Darwin, o objetivo do projeto é reparar e reaproveitar tênis antigos ou em desuso. Uma oficina de sapateiro irá reparar e limpar pares de tênis usados, enquanto aqueles em más condições serão coletados e reciclados.

De volta ao Brasil, a Vicunha, referência em jeans nacional, lançou recentemente o app VSpace, onde expõe todos os seus artigos por categorias, inclusive sustentabilidade. Um avanço no mercado, pois deixa a informação de forma clara para as marcas que buscam tecidos com atributos sustentáveis, como por exemplo os que usam menor consumo de água em sua produção, ou os jeans feitos com fibras recicladas. Também estão lá informações relevantes sobre os selos e processos de menor impacto.

Outra boa notícia é que já temos por aqui um tecido antiviral 100% algodão, livre de microplásticos. Essa é a novidade anunciada pela Sou de Algodão, cujo seu parceiro Dalila Têxtil utilizou acabamento de nanopartículas de prata para atrair os vírus com carga oposta e destruir sua carga lipídica.

Espalhar boas notícias no mercado da moda é a minha missão aqui na Bazaar . A sua é reverberar!

Vamos juntos em prol de uma moda mais saudável, sustentável e solidária!

Bjs,

até já,

Chiara

@chiaragadaleta

@portalecoera