Foto: Reprodução/Instagram/@chiaragadaleta

Por Chiara Gadaleta

A sustentabilidade é a palavra de ordem e já sabemos que a maneira como utilizamos nossos recursos naturais e o impacto que isso causa no meio ambiente vem sendo repensado. Se continuarmos neste ritmo, em 20 anos precisaremos de quatro planetas Terra para dar conta. Neste cenário, a maneira como consumimos está diretamente ligada ao nosso impacto no dia a dia.

Sabemos também que no mundo pós-pandemia os consumidores serão ainda mais atentos, exigentes e conscientes.

Mas, afinal, o que podemos fazer para colaborar com essas mudanças e deixar uma pegada positiva?

Aqui um passo a passo para alinhar consciência e sua maneira de consumir.

#1

Primeiro de tudo, pergunte se realmente você precisa daquela peça. Durante a quarentena tivemos a chance de organizar armários e gavetas, e dar uma boa olhada no seu guarda-roupa ajuda para ter certeza. Use a oportunidade para analisar se o que deseja comprar pode ser coordenado com outras peças que você já tem, e não deixe de destinar peças em desuso para lugares que precisam de doações. Em instituições e ONGs, suas peças, roupas e acessórios em desuso se transformam em renda para crianças, adolescentes e idosos em vulnerabilidade social.

#2

Sempre experimente a peça antes de adquirir. Assim, não leva para casa uma roupa que não lhe cai bem e que vai ficar parada sem uso. Em tempos de pandemia, e nas compras online, certifique-se de que as medidas da peça correspondem às suas.

#3

Pesquise, seja curioso e busque o máximo possível de informações sobre a marca que fabricou ou que está vendendo a peça que deseja. Faça sempre as seguintes perguntas antes de finalizar uma compra: quem, como e onde foi feita a peça que vou vestir? Promova marcas que são transparentes, valorizam seus colaboradores, são éticos com seus consumidores e usam matérias-primas mais limpas e de menor impacto ambiental.

#4

Pense a longo prazo e prefira peças de qualidade, que possam durar muito tempo. O barato sai caro. Desconfie quando o preço é muito baixo, pois o material provavelmente também é de baixíssima qualidade e a mão de obra não foi paga de forma justa.

#5

Leia a etiqueta e promova o feito no Brasil. Quando compramos peças nacionais, estamos fomentando a economia local e valorizando a nossa cultura. Em tempos economicamente incertos, como os que vivemos, dar preferência para roupas feitas no Brasil pode garantir empregos no mercado de moda nacional.

#6

Procure por selos em tags, etiquetas e embalagens. Em tempos de urgência social e ambiental, as marcas podem e devem medir seus impactos, neutralizar com projetos como plantio de mudas, direcionar esforços para receber certificações, sempre deixando isso claro no site e se comunicando de forma transparente com seus clientes.

#7

Promova o vintage e garimpe em brechós. Além de ser divertido, você aplica o reaproveitamento, o reúso e aumenta a vida útil das peças evitando o descarte inadequado.

É mais simples do que parece, não achou?

Novos tempos vão exigir novos hábitos e a mudança, mesmo que pequena, pode significar muito.

Ah, muito importante: lembre-se que sustentabilidade não é tendência, é garantia de futuro, por isso vista essa causa e espalhe essa ideia!

Bjs conscientes,

Chiara