Foto: Divulgação

Por Chiara Gadaleta 

A moda circular é um novo modelo de negócio que propõe o desperdício zero. A ideia é deixar de lado o modelo convencional linear, em que as peças são produzidas, consumidas muito rapidamente e descartadas, na maioria das vezes, sem destinação correta. Nesse novo conceito o resíduo deixa de existir e não impacta o meio ambiente.

Foto: Divulgação

O modelo circular, mais sustentável e econômico, promove uma forma alternativa de consumo, com foco no aluguel, na troca e na valorização de peças vintage. Nesse novo cenário, o pós-consumo é tratado como oportunidade de negócios, as parcerias entre empresas são importantes, pois, em colaboração, a meta de fechar o ciclo pode ser alcançada com mais eficiência e agilidade.

Foto: Divulgação

Bons exemplos como a Selfridges e a Take me Vintage comprovam a eficiência desse modelo cada vez mais adequado e apropriado aos novos tempos.

A inglesa Selfridges, umas das principais lojas de departamentos do mundo, em parceria com a plataforma de compartilhamento do roupas HURR, lançará sua primeira coleção de aluguel de moda assinada e de alta qualidade.

A Selfridges Rental Collection, irá alugar mais de 100 peças cuidadosamente selecionadas de mais de 40 marcas, incluindo Zimmermann, Cecilie Bahnsen e Emilia Wickstead, tanto na loja física quanto online.

O aluguel permite que os clientes tenham acesso à alta moda a preços acessíveis e dessa forma desacelerar o fast fashion e eliminar as compras de itens de uso único sem abrir mão do prazer de ter um look novo para uma ocasião especial.

Foto: Divulgação

Aqui no Brasil, o Shopping Cidade Jardim inova e amplia seu e-commerce com o Take Me Vintage, marca de recommerce que ressignifica peças vintage icônicas de marcas como Chanel, Alaia, Giambatista Valli, Givenchy e Paula Raia, entre outras, em versões exclusivas. Neste caso, as fundadoras Ana Piva e Melissa Moraes fazem a curadoria de forma minuciosa levando em conta critérios como marcas, designers e qualidade.

Foto: Divulgação

A cultura do não desperdício aliada ao estilo vem ganhando força e o empreendedorismo guiado pela sustentabilidade mostra novos caminhos mais saudáveis e sustentáveis para todos nós apaixonados por moda.

Vamos juntos!

Bjs,

Chiara.

Os dois lançamentos que vemos aqui reforçam que o mercado de usados, da ressignificação de peças e a cultura do não desperdício, esão cada vez mais presentes em todos os nichos da moda.

Foto: Divulgação