Desfile de inverno 2019 de Stella McCartney – Foto: Divulgação

Por Gabriel Green Fusari

Tendo em mente que a produção do couro animal traz consequências danosas ao meio ambiente, como emissão de gases carbônicos e desmatamentos, pesquisadores da Universidade de Viena, da RMIT e Imperial College London fizeram uma parceria para o desenvolvimento de um couro sintético feito de cogumelos.

Produzido pelo micélio, uma frutificação transmissora de nutrientes do fungo, o tecido tem um processo de produção de baixo custo. Para alimentar o cogumelo, é misturado pedaços de serragem e subprodutos agrícolas que fazem os fios do micélio crescer. Depois disso, formam-se folhas as quais serão prensadas e em poucas semanas estão prontas, já podendo sentir a textura de couro.

O impacto ambiental desse processo é neutro, pois é utilizado 40 litros de água comparados com 500 litros usados na produção do couro convencional. Além disso, é um produto reciclado e biodegradável, o que faz ele ser eco friendly.

Algumas marcas já estão de olho nesse couro, como a Adidas e a Stella McCartney. Elas estão investindo na produção da Bolt Threads, empresa de insumos para moda sustentável. Mylo, como é chamado o produto pela startup, é feito em até 10 dias comparado com o couro animal onde o processo de criação e fabricação pode durar de 18 meses até 5 anos.

Para o tingimento, enquanto o couro animal usa produtos tóxicos, o couro de micélio usa produtos naturais e é feito por empresas com comprometimento ambiental.

Mas se engana quem acha que esse tecido só chama a atenção de marcas de luxo. Na Indonésia, existe uma cultura secular de cultivação de fungos e cogumelos. Uma das famílias que fez disso um negócio é a de Adi Reza Nugroho, diretor da Mycotech. Com ajuda de amigos e seus pais fazendeiros, desde 2012 têm uma startup de pesquisa e produção de produtos feitos a base de cogumelos.

Com o tempo, se especializaram no micélio e hoje produzem tecidos para produtores locais de roupas. “O cogumelo é um super ingrediente para se tornar um produto de larga escala no futuro pois ele imita perfeitamente o couro animal, sem qualquer adesão de plástico, pvc ou aditivos químicos”, diz Adi.