Visão do espaço da Terra. Foto feita pela Nasa, em 2016 – Foto: Getty Images

Não é de hoje que a tarefa de salvar o planeta Terra está entre uma das pautas mais discutidas em todo o mundo. Problemas ambientais, escassez de recursos naturais, doenças e muitas outras questões giram em torno do tema. Comemorado no dia 22 de abril, o Dia da Terra traz à luz a consciência do nosso próprio consumo dessas riquezas que a natureza nos fornece.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

A começar pela indústria da moda, uma das quatro que mais consomem recursos naturais, segundo a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA). A fabricação de novas roupas aumenta a emissão de CO2, além dos gastos com água e utilização de produtos químicos para lavar as peças entram na conta dos prejuízos causados ao meio ambiente. Sobretudo, há ainda uma discussão ética em torno do consumo de roupas novas, que muitas vezes são usadas uma única vez.

Uma das novas tendências do mundo fashion que vêm reduzindo esse impacto e levantando a questão da produção descontrolada é o mercado de segunda mão. “Aos poucos, o second hand vai conquistando um espaço importante no mundo da moda. Ao dar uma nova chance aquele vestido que está parado no guarda-roupa, conseguimos diminuir muito o impacto no meio ambiente”, explica Carol Esteve, fundadora e CEO da Buy My Dress, primeira plataforma e-commerce de compra e venda de vestidos second hand do Brasil.

A empresária, que sempre sonhou em trabalhar com moda, e ao mesmo tempo, criar algo que causasse um impacto positivo para tudo e todos, complementa ainda que a crise sanitária da Covid-19 pode ter acelerado o crescimento desse setor. “As pesquisas apontam que o mercado de segunda mão vai crescer cinco vezes mais, estamos em uma fase de quebra de tabus. Mas cada vez mais, é notável o impacto positivo tanto sustentável, quanto financeiro desse tipo de consumo. A pandemia mudou o comportamento dos consumidores, as pessoas estão atentas ao que está acontecendo com o mundo”, explica Carol.