Fashiontech sustentável: Linus lança camisa e entra para mercado de vestuário
Foto: Divulgação/Roberto Seba e Lívia Wu

A marca de lifestyle sustentável Linus, criadora da primeira sandália de plástico vegana nacional, caminha para a entrada no mercado de vestuário com uma edição limitada de uma camisa feita de linho com algodão cru, composta de fibra 100% natural. Agênero, a camisa na cor branca está disponível por R$349,00, em cinco tamanhos (P, PP, M, G e GG), com etiqueta personalizada.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

O lançamento, que aconteceu no dia 17 de dezembro, marcou a expansão no portfólio de produtos da Linus, que cresceu 700% na pandemia e esteve presente na última edição da New York Fashion Week.

Fashiontech sustentável: Linus lança camisa e entra para mercado de vestuário
Foto: Divulgação/Roberto Seba e Lívia Wu

“Optamos por expandir nosso portfólio de uma maneira consciente e sustentável, sem produção excessiva, sem ter que descartar produtos e com o menor impacto possível no meio ambiente, após escolher a dedo nossos fornecedores”, afirma Isabela Chusid, CEO e fundadora da marca. “É o primeiro passo do nosso objetivo de ser realmente uma marca de estilo de vida, para além das sandálias”, explica Isabela.

A escolha da cor branca foi pensada para o Réveillon e os consumidores que adquirirem a camisa saberão o número da unidade adquirida, que estará escrita a mão na etiqueta. “Será um produto único e personalizado para quem já acompanha a marca”, reforça Isabela. As camisas estão à venda no e-commerce e nas lojas físicas da marca, a Casa Linus, em Pinheiros, e a loja temporária da marca no Shops Jardins, disponível até janeiro.

Fashiontech sustentável: Linus lança camisa e entra para mercado de vestuário
Foto: Divulgação/Roberto Seba e Lívia Wu

Principal produto da marca, as sandálias Linus são 100% recicláveis e compostas por 70% de fontes renováveis, todas com o valor fixo de R$176,00. Com a sustentabilidade diretamente atrelada ao negócio, para além dos produtos, a Linus compensa a emissão de carbono e 200% de todo o plástico que produz, possui os selos Eu Reciclo e Carbon Free, além de ser certificada pela organização internacional de direitos dos animais PETA. O objetivo é se tornar carbono negativa até 2026.