Renner no Rio Sul: economia circular – Foto: Lucas Jones Dias/Divulgação

O shopping Rio Sul foi o local escolhido pela Renner para inaugurar sua primeira loja focada em economia circular, conceito que associa o desenvolvimento ao melhor uso de recursos, priorizando insumos mais duráveis e renováveis.

Para este lançamento, foram desenvolvidas três novas coleções-cápsulas do Selo Re, produzidas com matérias-primas e/ou processos de menor impacto.

Renner no Rio Sul: economia circular – Foto: Lucas Jones Dias/Divulgação

Entre os destaques está uma nova edição de Re Jeans, o jeans com conceito ecofashion que vem ganhando cada vez mais atributos e representatividade dentro da marca; a coleção Studio, com calçados feitos de lonita sustentável com sola de palha de arroz e peças com tingimento natural em tecidos reciclados, linho certificado e viscose e algodão responsáveis; e a cápsula Algodão Orgânico, com opções femininas, masculinas e infantis feitas a partir do algodão cultivado e colhido de forma artesanal e sem uso de agrotóxicos.

A loja

Da concepção até a operação, a nova loja do Rio Sul foi desenhada considerando premissas de circularidade para diminuir ao máximo seu impacto ambiental, por meio da redução de consumo de matérias-primas na reforma. Só em aço estrutural, por exemplo, a Renner deixou de usar 8,5 toneladas. Foram priorizados materiais mais sustentáveis, reciclados e recicláveis.

Renner no Rio Sul: economia circular – Foto: Lucas Jones Dias/Divulgação

A meta era reaproveitar 75% dos resíduos gerados na obra, mas o desafio foi superado, já que 94% desses resíduos não foram destinados a aterros, sendo que grande parte foi reciclada e serviu de insumo em outra cadeia produtiva.

A loja é abastecida por energia renovável e de baixo impacto, originada de fonte eólica. Também é mais eficiente no uso de energia. A emissão de CO2 equivalente evitada na construção e operação da loja, em um cenário de 20 anos, corresponde à restauração de uma área de 1,5 hectare de Mata Atlântica. É como se a Renner plantasse 3 mil árvores no Parque Nacional da Tijuca e as mantivesse por duas décadas. Com isso, o espaço deve alcançar uma redução de 24% no seu potencial de aquecimento global.

Renner no Rio Sul: economia circular – Foto: Lucas Jones Dias/Divulgação

A unidade ainda tem pegada hídrica reduzida. No dia a dia da loja, o consumo de água será cerca de 56% menor em comparação aos empreendimentos com padrões construtivos tradicionais. Isso vai gerar uma economia de mais de 420 mil litros ao ano, o que equivale ao consumo de sete pessoas neste período.

Para conscientizar sobre sustentabilidade, foram instalados painéis de LED e placas explicativas distribuídas pelo local, com QR codes que vão guiar os clientes dentro do universo de moda responsável da Renner.