Vera Cortez – Foto: Divulgação

Desde o início de sua carreira como designer de joias, Vera Cortez sempre teve como preocupação a transparência no processo de produção, consciência socioambiental e ressignificação das matérias primas usadas.

Ossos de descarte, madeiras de refugo são bases a serem esculpidas para rubis, esmeraldas e turmalinas, entre outras pedras preciosas sempre compradas de fornecedores regulamentados.

“O trabalho com o ouro reciclado faz com que as joias ganhem uma energia diferente”, conta Vera. “Cada joia nossa é única, acredito que mesmo no dia a dia você possa usar uma joia que só você tenha, é isso é um privilégio”.

O Galpão Vera Cortez reabre agora em junho e continua no mesmo espaço – na Rua Maria Carolina 282 – no Jardim Paulistano, em São Paulo.