Itália vira destino desejável de casamentos

Brasileiro vem gastando e se hospedando mais no país, sobretudo em se tratando de viagens Wedding

by redação bazaar
Chiara Ferragni se casou ao ar livre na Sicília - Foto: Divulgação

Chiara Ferragni se casou ao ar livre na Sicília – Foto: Divulgação

Uma pesquisa inédita do Centro de Estudos Turísticos de Firenze revela que 38,2% dos casais, incluindo brasileiros, desejam se casar nas vilas italianas cercadas de trigo, oliva e girassóis. Em segundo lugar aparecem os hotéis de campo, seguidos pelos castelos, depois os hotéis de luxo e, por fim, o casamento no ‘comune’, que é a prefeitura local. A Toscana é o local preferido para celebrar o casamento de quase 31% dos casais, ficando à frente de lugares como Lombardia, Campania, Veneto e Lazio. E o ritual simbólico é o predominante nessa região, entre outros formatos como civil e religioso.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

O centro de estudo coletou dados de 976 locações (hotéis, castelos, vilas) e opiniões de 489 wedding planners ativos em todo o território da Itália, totalizando uma amostra de 1465 questionários.

O número cada vez maior de casais brasileiros, incluindo famosos, contribui para o aquecimento do mercado de Destination Wedding. Dados da pesquisa indicam que seremos responsáveis, junto aos australianos e chineses, pelo boom desse mercado que movimentou, apenas na Itália, mais de 500 milhões de euros. Aliás, o brasileiro vem gastando e se hospedando mais no país, sobretudo em se tratando de viagens Wedding: de acordo com a Agência Nacional Italiana de Turismo (ENIT), em 2017 foram gastos € 721 milhões de euros em 2,3 milhões de pernoites (em viagens em geral), um aumento de 20% em relação ao ano anterior. E a expectativa para 2019 é um fluxo 15% maior de brasileiros.

“Hoje ninguém se casa para dar satisfação para a sociedade. E, sim, porque há o desejo dos noivos de passar por esse ritual”, afirma a gerente de marketing Luciana Santos, que assume a marca Casamento na Itália – dedicada exclusivamente a realizar casamentos para brasileiros no país.

Casamento na Itália - Foto: Divulgação

Casamento na Itália – Foto: Divulgação

Esse desejo de ter uma experiência única, foi o que motivou o casal Maria Fernanda Raphaelli e Rafael Alves, de 35 anos. Foram três dias de festa em uma vila na Toscana, sendo o primeiro – véspera da celebração – um jantar com degustação de vinho para 90 convidados. “Foi um clima muito harmonioso. Queria uma experiência que realmente impactasse a vida dos convidados, da qual eles pudessem lembrar para sempre. Em um casamento tradicional, o convidado se arruma no dia e vai. No outro dia, volta a rotina normal. Não muda nada. Além disso, fazer casamento no Brasil requer convidar pessoas por politicagem e eu não queria isso”, afirma a Maria Fernanda. “No terceiro dia de festa, passamos a tarde toda juntos, adultos e crianças, sentados no gramado em toalhas e almofadas, como se fosse um piquenique”, relembra.

Além disso, as peculiaridades das celebrações italianas são outro atrativo. “Na Itália, a fartura dos casamentos pode surpreender quem vem de fora, já que os comes e bebes são verdadeiros protagonistas das celebrações. São ao menos cinco pratos que antecedem o momento de cortar a torta de casamento italiana que, tipicamente, é feita com massa folhada e um delicado creme de confeiteiro. É possível solicitar à equipe de catering que monte a torta na hora, em frente aos convidados – uma experiência que é sempre um sucesso”, relata Luciana.

Pioneira no mercado de Destination Wedding na Itália, Sandra Santoro explica o aumento exponencial do Destination Wedding, modalidade de celebração que pode acontecer tanto em um ritual para os noivos e seus pais – o Elopement Wedding (‘to elope’ em inglês: fugir) ou em uma cerimônia intimista para 20 a 30 pessoas – a Mini Wedding.

Para o Elopement – a modalidade mais procurada pelos brasileiros, o investimento é de 7.500 euros, em média, o equivalente a R$ 35 mil. Já o Mini Wedding, pode ser realizado a partir de 18 mil euros. “Os casais chegam a investir, muitas vezes, o mesmo valor, ou bem menos do que investiriam em uma festa nos moldes tradicionais no Brasil”, conta Sandra.

Saiba mais em @gettingmarriedinitaly e @casamentosnaitalia.

Leia mais:
Joias portuguesas: um giro por Lisboa, Sintra e Algarve
Férias na Europa: roteiro de Cannes e Lago di Como
Oito programas para fazer com as crianças na Itália