Bye Bye barriguinha! Foto: divulgação
Bye Bye barriguinha! Foto: divulgação

por Anna Paula Buchalla

Que atire a pri­meira pedra quem, mesmo magra, não tem um excessozinho aqui e ali que adoraria ver bem longe da silhueta. Aquelas gorduras a mais que insis­tem em habitar costas, laterais da barriga e culotes, e que não te abandonam nem por decreto. Eu as tenho, assumo: muitas vezes, me livro delas com ginástica e dieta, mas, num mês um pouco menos intenso de força de vontade, lá estão as ingratas de volta. Resolvi, então, testar a acupuntu­ra para perder peso. A prática é milenar, mas a indicação contra gordura localizada é recente, bem recente, e está ganhando no­vos adeptos graças a estudos científicos que provam que ela re­almente funciona para esse fim. Uma das principais pesquisas nessa área veio da Kyung Hee University, em Seul, na Coreia do Sul. Os pesquisadores coreanos observaram uma redução de 6% do índice de massa corpórea, o IMC, em oito semanas, só com o uso estratégico das agulhas.

Há, basicamente, três formas pelas quais a acupuntura ajuda a perder peso. A primeira delas se deve ao fato de que a técnica ajuda a equilibrar os hormônios. As santas agulhinhas aumen­tam as endorfinas, responsáveis pela sensação de bem-estar, o que evita os ataques de ansiedade e fome, que, invariavelmen­te, terminam na porta da geladeira ou no armário de gulosei­mas (quem nunca?). Elas ainda estabilizam os hormônios as­sociados ao ganho de peso, como a leptina, que dá a sensação de saciedade, e a insulina, que regula os níveis de açúcar no sangue. Em segundo lugar, a acupuntura reduz o stress. Como se sabe, o cortisol, hormônio que vai às alturas quando esta­mos nervosos, afeta o peso de diversas formas, sejam elas físicas ou emocionais. E, por fim, a técnica chinesa melhora a diges­tão. No meu caso, bastou um leve toque da acupunturista nos meus dois punhos para sentenciar que intestino, rins e fígado não estavam em harmonia. Pelas descrições, tive de reconhe­cer que ela estava certa. Segundo a medicina chi­nesa, essa falta de sintonia entre os órgãos da região abdominal leva a cansaço, redução do metabolismo, re­tenção de líquidos e sensação de má digestão, além, claro, de estimular a compulsão por comida.

Minha primeira sessão no Thai Soul Boutique Spa começou com um ultras­som bem fraquinho. “Para ‘soltar’ as células de gordura da região abdominal”, me explicou a acupun­turista Ana Salatini. Depois, vieram as finíssimas agulhas. Ima­ginei que elas seriam colocadas nas minhas orelhas, mas fo­ram milimetricamente posicionadas nas áreas mais afetadas pelo desbalanço entre os órgãos e onde se concentra a gordura no meu abdome. Depois de cobri-lo com as agulhas, Ana acoplou a elas eletrodos que, durante 20 minutos, emitiram pulsos elé­tricos (a intensidade do choque vai até onde cada um aguen­ta) para trabalhar a área e amenizar os pontos de tensão. Ao fi­nal, uma drenagem bem localizada ajuda a eliminar toxinas e líquido retido – e não é pouco o que se elimina depois!

Logo na primeira sessão, perdi 8 centímetros de medidas na região ab­dominal (somando abdome superior, cintura e abdome infe­rior, abaixo do umbigo). Nas sessões seguintes (foram oito no total), mais perda de medidas, embora mais modestas. Nos dias que se seguiam à aplicação, eu me sentia realmente menos in­chada, sem aquela desagradável sensação de estufamento após as refeições e com uma digestão claramente melhor. Confes­so que ignorei (intencionalmente) os apelos da acupunturista para evitar frituras, doces e álcool durante as semanas do tra­tamento. Aderir a uma dieta equilibrada àquela altura poderia mascarar os resultados. E eles surpreenderam. Claro, não há mi­lagres e não fiquei com a barriga chapada – não custa sonhar… Mas ela está visivelmente mais enxuta e alguns centímetros mais fina – e isso tudo sem derramar nem uma gota de suor sequer.