Julia Roberts em cena do filme "Uma Linda Mulher" - Foto: Divulgação/IMDB
Julia Roberts em cena do filme “Uma Linda Mulher” – Foto: Divulgação/IMDB

Um pesquisa recém-divulgada pela Universidade de Loughborough, em Leicestershire, na Inglaterra, traz resultados que muitas pessoas vão dar pulos de alegria: tomar um banho quente e relaxante queima tantas calorias quanto fazer exercícios. Ademais, o gostoso repousar em água aquecida traria múltiplos benefícios à saúde!

De acordo com o doutor Steve Faulkner, responsável pelo estudo, o calor passivo de uma banho de banheira com água quente queima calorias e ainda melhora a saúde. Segundo os resultados, o benefício do calor na pressão sanguínea e a perda de calorias foram atestados 14 pessoas que se submeteram aos testes. Elas tomaram um banho submersas em banheiras com água aquecida a 40 graus. O resultado foi a queima de calorias igual a de uma caminhada de 30 minutos.

A equipe investigou o efeito de um banho quente no controle do açúcar no sangue (uma medida importante da aptidão metabólica) e na energia gasta (número de calorias queimadas). Os 14 homens recrutados para participar do estudo foram designados para uma hora de imersão em banho quente (40˚C) ou uma hora de bicicleta. As atividades foram projetadas para causar um aumento de 1 º C na temperatura corporal ao longo de uma hora.

Após cada uma das sessões a que foram submetidos, foram medidas quantas calorias os homens queimaram, assim como a quantidade de açúcar no sangue.

Comparado a andar de bicicleta, o banho resultou em menos calorias queimadas, mas em comparação a uma caminhada de 30 minutos, a queima de calorias se equiparou, totalizando uma perda de cerca de 140 calorias.

O estudo também mostrou mudanças na resposta inflamatória similar àquela após o exercício, importante porque nos protege contra infecções e doenças. Isso sugere que o aquecimento passivo repetido pode contribuir para reduzir a inflamação crônica, que frequentemente está presente em doenças de longo prazo, como o diabetes tipo 2.

Uma pesquisa da Finlândia, publicada em 2015, sugeriu que sessões assíduas de saunas podem reduzir o risco de ter um ataque cardíaco ou derrame – pelo menos nos homens. A ideia de que o aquecimento passivo pode melhorar a função cardiovascular recebeu mais apoio quando a Universidade de Oregon publicou um estudo no ano seguinte, mostrando que os banhos quentes regulares podem reduzir a pressão arterial.