Foto: reprodução
Foto: reprodução

Você pode escolher certos alimentos para evitar o inchaço, evitar inflamação, dar mais viço à pele, mas quais são os alimentos que têm o poder de impulsionar seu cérebro cada vez que você ingeri-los?

A relação entre dieta e saúde do cérebro – desde como aguçar sua mente e memória para iniciar a prevenção de Alzheimer supercedo – tem sido um assunto que ganhou grande atenção recentemente. Rebecca Katz, autora do livro de receitas com base científicas The Healthy Mind Cookbook (algo como O livro de Receitas da Mente Saudável), está na vanguarda do movimento. Quer saber quais são os 10 alimentos que Katz diz que você deve comer para melhorar seu desempenho mental? Leia a seguir:

Lentilhas

De acordo com Katz, lentilhas são cheias de vitaminas B9, que ajudam a manter sua mente afiada, te dará mais foco e energia, além de ferro, que é importante para o funcionamento cognitivo em mulheres durante a fertilidade, e zinco, que se diz ser um impulsionador da memória.

Menta

Katz ama hortelã, porque é uma boa fonte de vitamina A, que pode ajudar a impulsionar as habilidades de aprendizagem e aumentar a plasticidade cerebral, além de  conter vitamina C, que protege contra o declínio cognitivo. “Há estudos fascinantes sobre como o aroma de hortelã afeta o funcionamento do cérebro”, diz Katz. “Em um estudo, o aroma de hortelã ajudou a aumentar o estado de alerta e memória. Em outro, ele ajudou a melhorar habilidades de escrita básica, tais como digitação e memorização. Apenas com o cheiro de menta.

Semente de abóbora
As sementes de abóbora trazem generosas porções de ferro em adição a um trio de minerais (potássio, magnésio e cálcio) que, pelo que a escritora diz, se torna o melhor antidepressivo da natureza.

Couve-flor
Couve-flor é uma ótima fonte para vitamina K, que é responsável por manter sua mente afiada e melhorar sua memória. “Ela também ajuda na desintoxicação do fígado e é um aspirador de pó quando se trata de tirar as toxinas do seu corpo”, conta.

Sardinhas
Seu cérebro ama esses pequenos peixes. Na verdade, a expert refere-se a eles como “Prozac enlatado”, uma vez que as sardinhas são carregadas com vitamina B12, que aumenta sua memória e evita a depressão. Eles também são uma rica fonte de ômega-3 e ácido graxo, que ajudam a manter o cérebro bem, e em niacina, que pode aumentar a energia mental.

Amêndoas
De acordo com Katz, amêndoas podem ajudar seu corpo a lutar contra uma inflamação, melhorar seu humor, retardar o declínio mental que vem com a idade, bem como ajustar os níveis de serotonina, que está “associada a uma melhora do humor e da depressão”, conta.

Foto: reprodução
Foto: reprodução

Beterraba
“Beterraba é um alimento de primeira ordem para o cérebro”, diz. Elas são ricas em nitritos, que se mostraram ótimos para aumentar o fluxo de sangue em partes do cérebro relacionadas com o funcionamento executivo, rico em carotenoids, que podem ajudar a impulsionar o funcionamento do cérebro e evitar a depressão.

Cajus
“O caju é uma grande fonte de dois minerais que aumentam a capacidade mental, o zinco e o magnésio”, comenta. O zinco é importante porque os baixos níveis do mineral estão associados com depressão. O magnésio ainda ajuda a regular melhor o sono e pode melhorar as habilidades de aprendizagem.

Canela
“Canela oferece alguns benefícios anti-inflamatórios, que podem aumentar o funcionamento total do cérebro”. Ela também desencadeia algumas proteínas especiais chamadas fatores neurotróficos, o que pode ajudar o cérebro a gerar novos neurônios e manter os antigos saudáveis. Semelhante à hortelã, os pesquisadores descobriram que o aroma da canela pode melhorar a memória.

Chocolate amargo
“O cacau que dá ao chocolate amargo seu sabor viciante é carregado com poder antioxidante de memória”, diz Katz. Em dois estudos recentes, o consumo de cacau tem sido associado aos mais altos níveis cognitivos. O chocolate amargo é também um benefício para o sistema cardiovascular e um coração saudável ajuda a manter o cérebro afiado.

Mas tenha cuidado: Katz diz que o leite interfere com a capacidade do corpo para acessar o poder de flavonoides, então estes benefícios não se aplicam ao chocolate ao leite. Ou seja, quanto mais amargo, melhor!