Foto: Florian Kaefmueller
Foto: Florian Kaefmueller

Os cristais voltaram à cena – para dar sorte, curar, acalmar e, agora, também, rejuvenescer. O poder de cura das pedras é quase um mantra da geração hippie, portanto, nada de novo em carregá-lo junto ao corpo ou reservar um cantinho da casa para energizar. No entanto, seu retorno triunfal se deve a estudos recentes que provam que princípios ativos encontrados nos cristais e outras pedras preciosas, como quartzo rosa, turmalina, ametista, citrina, lápis-lazúli e jade, fazem um bem incrível à pele.

Fala-se até em uma nova categoria de cosméticos, a dos gemceuticals, os produtos baseados em gemas – mais do que uma onda de beleza zen, uma tendência de bem-estar com os pés fincados na ciência. “Cristais e pedras preciosas têm um tipo de energia vibracional que não apenas atua diretamente na harmonia de nossa pele, mas também é capaz de aprimorar outros ingredientes e de ajudar a conduzir ativos às células”, diz a bioquímica e cosmetóloga Joyce Rodrigues.

De rollers faciais, que ajudam a drenar e tonificar a pele feitos com quartzo e cristal, a potinhos de skincare e máscaras com minerais, como diamante e ouro, atribuem-se a essas pedras poderes de dar vitalidade às células da pele, acalmar, eliminar toxinas e melhorar a circulação da derme. E, claro, reduzir rugas.

A guru da beleza Emily Weiss, criadora da linha de cosméticos Glossier (a eleita das millennials), foi uma das primeiras a usar a infusão de cristais em seus produtos: o iluminador Haloscope, um dos carros-chefe, tem extratos de pedras que tratam a pele enquanto dão um glow.

Empresas de cosméticos de médio e grande porte também começam a adotar cristais e gemas em suas fórmulas – a novidade é que com boa dose de ciência envolvida no processo. Os microcristais de diamantes usados na máscara Diamond Lift 4D, da europeia Perfecta Pharma, ajudam a fazer um detox, melhoram a circulação e ainda estimulam as células do rosto a se regenerar. O efeito lifting é quase imediato.

Da Under Skin, o recém-lançado U.SK Elixir Infusion Diamond tem diamante nanoencapsulado, para atuar no rejuvenescimento completo das estruturas da pele. Segundo a gerente de Desenvolvimento da marca brasileira com DNA italiano, Silvana Masiero, “o diamante não está presente na linha para dar glamour ou luxo, mas exerce ação fisiológica profunda, por estar nanoencapsulado”.

A Kora Organics, marca celebradíssima da modelo Miranda Kerr, foi outra a adotar gemas em suas formulações: o quartzo rosa está em praticamente todos os produtos. Uma exigência da própria Miranda, acostumada a usar cristais durante suas práticas meditativas e em massagens corporais e faciais.

Outra que aderiu à tendência foi a Herbivore Botanicals, sucesso recente na Sephora americana. A companhia adotou o lápis-lazúli, considerada a pedra favorita dos egípcios antigos, para o seu Lapis Facial Oil, um óleo anti-inflamatório que ajuda a clarear a pele e que já se tornou sucesso de vendas.

SIGA A BAZAAR BRASIL NO INSTAGRAM

No Brasil, a Mezzo Dermocosméticos usa um dos primeiros tipos de cristal com poder de rejuvenescimento cientificamente comprovado em estudos da Universidade de Harvard. É um mineral encontrado na Grécia: ele se origina da resina de uma árvore específica da Ilha de Quios, que, ao cair no solo, se transforma em gotas de cristais. Nessas gotas está um ativo batizado de Lakesis, um óleo capaz de estimular a longevidade celular. Com base nele, a empresa criou o Age Protein, um sistema completo que inclui óleo, sérum finalizador e uma máscara iluminadora.

A volta aos cristais, assim como todas as tendências mais recentes da área, tem origem na busca por uma beleza natural e orgânica. Ninguém quer colocar na pele algo que não seja compatível com o lifestyle moderno, voltado para o bem-estar. “As pedras estão sendo muito usadas nos cosméticos também por serem encontradas em seu estado puro. Elas possuem uma força energética absorvida no local de sua formação”, explica Roseli Duque, presidente do Conselho da Associação de Joalheiros do Estado de São Paulo, a AJESP.

As pesquisas com gemas e cristais agora caminham para encontrar, no poder dos minerais energéticos, a chave para neutralizar os efeitos da poluição e da radiação – os mais recentes inimigos da saúde da pele, eleitos os piores vilões do envelhecimento e hoje na mira principal da indústria cosmética. Deve vir mais coisa boa por aí seguindo a linha ciência-com-um-toquezinho-zen.