Jada e Octavia Spencer no Festival de Filme de Sundance em janeiro - Foto: Getty Images
Jada e Octavia Spencer no Festival de Filme de Sundance em janeiro – Foto: Getty Images

Jada Pinkett Smith, esposa de Will Smith, revelou que tem lutado com a alopecia (queda capilar excessiva) no último episódio de seu bate-papo no Facebook. Enquanto estava no ar, a atriz de 46 anos relatou que tem “recebido muitas perguntas sobre o motivo de estar usando este turbante”.

“Bem, eu tenho tido problemas com a perda de cabelo. E foi assustador quando começou.” Apesar dos médicos não identificarem uma causa de sua condição, Jada acredita que ela pode estar relacionada ao estresse. Ela notou quando “punhados de cabelo” se soltaram no chuveiro. “É por isso que eu cortei meu cabelo e estou usando turbantes”, finalizou.

Este é o terceiro episódio de sua mini-série, batizada de “Red Table Talk” que ela faz com sua mãe, Adrienne Canfield Norris, e sua filha, Willow Smith. O programa fala sobre vários tópicos importantes, como lidar com a perda, a maternidade e a imagem corporal. Willow também se abru sobre a luta contra a auto-mutilação em 2010, após o lançamento de seu single de estreia ‘Whip My Hair’.

Foto: Instagram/Reprodução
Foto: Instagram/Reprodução

Conheça a doença

A alopecia é uma doença inflamatória associada a alteração no sistema imunológico. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) o problema afeta de 1 a 2% da população, podendo acometer ambos os sexos. A complicação atinge pessoas de todas as idades, muito embora 60% dos pacientes diagnosticados possuem idade inferior a 20 anos.

Dr. Thiago Bianco, cirurgião de transplante capilar, explica que a doença é autoimune e idiopática, ou seja, não tem uma causa definida. No entanto, pode ter relação com o estresse e a saúde emocional. O primeiro e único sintoma emitido pelo problema é a queda dos cabelos. “O organismo junto às células de defesa começa a reconhecer os folículos capilares como agentes de agressão e a destruí-los”, comenta. O médico sinaliza que, diferente dos outros tipos de calvície, ela provoca a perda de ilhas de fios, geralmente com formato arredondado no couro cabeludo e requer tratamento específico.

A psicóloga Lizandra Arita alerta sobre os malefícios do estresse para a saúde de todo o organismo, inclusive a dos cabelos. “Pessoas com quadro elevado de estresse no dia a dia estão suscetíveis a baixa imunidade e vários desequilíbrios hormonais relacionados a saúde dos fios”, comenta a terapeuta que reforça a importância da avaliação médica junto ao tratamento psicoterapêutico.

Principalmente entre as mulheres, a perda brusca dos cabelos pode ser assustadora, mas é possível reverter a queda e corrigir as falhas no couro cabeludo. Bianco indica como principal tratamento, os corticoides por via oral ou injetáveis. “Após poucos meses o paciente já pode notar o crescimento de novos fios, porém existem casos de recidivas, vai depender da reação de cada organismo”, conclui.