Lindsey Wixson - Foto: Arquivo Harper's Bazaar
Lindsey Wixson – Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

A dieta do jejum intermitente é assunto que está em alta, e pode ser sim uma técnica para emagrecer, desde que seja feito com ajuda de especialistas. Convidamos o especialista em nutrição otimizada pela Universidade Estadual de San Diego, Rodrigo Polesso, do site Emagrecerdevez.com, para dar o passo a passo de quem está pensando em adotar o sistema.

As recomendações do Polesso correspondem ao chamado Protocolo 16/8, que nada mais é do que fazer o jejum por 16 horas das 24 horas do dia e se alimentar na janela das 8 horas restantes. “Gosto muito deste protocolo porque você pode incluir o período do sono no jejum. Para quem está começando é um ótimo incentivo. A pessoa faz a última refeição às 20 horas, dorme, pula o café da manhã e faz todas as refeições no período das 12 às 20 horas”, conta o expert.

E antes de começar, é importante passar um período de “alimentação forte”, apenas com alimentos naturais, eliminando todos os industriais. Veja mais:

1. Corrigir a alimentação, no mínimo, é recomendada sete dias de alimentação forte antes de iniciar o jejum intermitente, porque seu corpo precisa estar preparado para a prática, do contrário, vai ser infernal este processo, tendo em vista que o metabolismo e sistema hormonal não estarão funcionando como deveria, dificultando o jejum.

2. Entretenha-se com bebidas não calóricas no período de jejum. Temos aí a água natural, a água com gás e até a água saborizada com limão, morangos, pepino. Os chás em geral também facilitam o processo e você pode incrementá-lo com canela, noz moscada, gengibre, que deixam as bebidas mais interessantes. O café também é ótimo aliado do jejum intermitente.

3. Muita gente, no início da prática, reclama de dor de cabeça, ou que se sente um pouco para baixo. Estes casos costumam estar relacionados à falta de sal ou pela falta de adaptação a “alimentação forte”. Por isso, é recomendado colocar um pouquinho de sal na água para repor o sódio.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

4. Outra coisa importante é entender que a fome aparece em ondas, então ela aparece, mas, se você esperar, sem desespero, ela vai passar, pois o seu organismo passa a supri-la com a energia já estocada.

5. Mantenha a sua cabeça ocupada. Se começar a fazer o jejum sem se ocupar de outra atividade, você ficará entediado e vai querer comer. Agora, se você se propõe a fazer o jejum e vai ao trabalho, ou decide finalizar um projeto, isso não ocorre. Além, claro, que você pode se exercitar em jejum. “Ao contrário do que se pensa, os sentimos mais dispostos para nos exercitar. Quando isso não ocorre é porque não estamos nos alimentando direito. Por isso, enfatizo a importância da alimentação forte antes do jejum intermitente”, defende Polesso.

6. Livre sua casa de besteiras, tire as tentações de perto, para não cair na tentação de comê-las.

7. Por fim, foque no positivo. “Foque em como está se sentindo, foque em você dominando seu estilo de vida, controlando quando quer ou não comer. Foque na leveza que está sentindo, perceba seu estômago está bacana, como está eliminando água e se sentindo com disposição. Isso é você dominando seu estilo de vida e não a alimentação dominando você”, incentiva o especialista.

Leia mais:
Nutricionista entrega a dieta da princesa Eugenie antes do casamento
Emily Ratajkowski: “amo comida brasileira, especialmente churrasco”
Como emagrecer sem perder a massa muscular