Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Por Carol Almeida e Karina Hollo

“O primeiro passo é limpar a dieta”, adverte Marcelo Bráz, especialista em fisiologia do exercício e personal trainer da Academia First, em São Paulo. “Eliminar alimentos com glúten, lactose, gorduras ou excesso de carboidrato de farinha branca, que influenciam diretamente na aparência e firmeza da pele. Ainda para o cuidado com a cútis, a nutricionista funcional Andréa Santa Rosa Garcia acrescenta que é prioritário “beber bastante água e caprichar no consumo de antioxidantes”. A personal Cau Saad faz coro: “Mulher acumula na coxa e no quadril. Tem de regular na comida, não tem jeito!”.

Já na academia, o ideal é “realizar exercícios dinâmicos, de força funcional”, continua Marcelo, que sugere atividades de pliometria, aquelas de explosão, “porque deixam o músculo forte e saudável, porém, sem muito volume”. As atividades no TRX, que dão firmeza sem inflar os músculos, também são recomendadas, além, claro, dos exercícios aeróbicos de sempre: corrida, pedaladas, caminhadas e afins, por uma hora, três vezes por semana pelo menos. Cau Saad também é fã da combinação entre exercícios funcionais, que dão resistência muscular, e aeróbicos.

Para não enjoar, Cau sugere várias possibilidades de treino: “Correr, pular corda, fazer escada, transport, andar de patins, nadar com pé de pato. Tudo três vezes por semana, por 45 minutos, no mínimo, é essencial para quem quer ter pernas mais finas”. Cau sugere investir também em exercícios com carga baixa ou feitos apenas com o peso do corpo, sempre em três séries de 15 a 20 repetições. Para isso, ela usa equipamentos de resistência, como elásticos e TRX, e bases instáveis, como bola.

Quem tem pernas naturalmente mais grossas deve evitar a qualquer custo os exercícios de musculação em máquina, que deixam os músculos mais rígidos e densos e, consequentemente, maiores.