Pauline Rochas - Foto: Fê Pinheiro
Pauline Rochas – Foto: Fê Pinheiro

Por Ligia Carvalhosa

Pauline Rochas faz parte da nova geração de jovens parisienses que vêm dando um toque moderno às tradições francesas. neta de Hélène e Marcel Rochas, ela traz a elegância e o bom gosto de berço, mas em tudo imprime seu jeito de garota do século 21. E não é de hoje. Aos 17 anos,trocou Paris por nova York, onde dirige o estúdio de fotografia coolife, em parceria com Carole Beaupre, além de comandar sua nova menina dos olhos: uma série de perfumes.
“Minha avó era perfumista, lembro-me de passar tardes acompanhando seu processo criativo. ela usava cada uma das essências que criava e essa memória ficou em mim. o projeto é como a realização de algo que estava adormecido”, diz à Bazaar. Mas as afinidades param por aí. se as invenções de Hélène eram suaves e comerciais, a proposta de Pauline e Carole é outra.“Queríamos algo que fosse além do que já existia no mercado. um aroma que abrisse as mulheres para o prazer e a sensualidade.
O resultado é um tanto perigoso, quase animalesco”, releva, sobre o primeiro dos sete lançamentos que prometem mudar a relação do público com a perfumaria. “Estamos no terceiro, cada um é baseado em um dos chacras do corpo humano.a ideia é que eles possam ser usados juntos, algo que aprendi com a minha avó. ela colocava dois perfumes, um na frente e outro atrás, um jeito de se apresentar de duas maneiras.”os frascos – desenhados pelo diretor criativo Marc Atlan – estão à venda online.