Respiratorianismo: dieta defende energia da respiração

Nutróloga Nívea Bordin Chacur, da Clínica Leger, fala dos perigos desta nova onda

by redação bazaar
Audra Bear - Foto: Reprodução/Instagram/@audrabear

Audra Bear – Foto: Reprodução/Instagram/@audrabear

O assunto emagrecimento está sempre em alta. De tempos em tempos, surge uma nova dieta que promete soluções definitivas contra o excesso de peso. Algumas, de fato, promovem melhores hábitos, outras, apenas colocam em risco a saúde de quem pratica, como o respiratorianismo.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

A dieta da vez se baseia na defesa de que o ser humano não necessita comer ou beber água para manter o corpo funcionando perfeitamente, já que é capaz de sobreviver da energia do que “está ao redor”.

O regime ganhou notoriedade em 2014, quando a modelo ucraniada, Valeria Lukyanova, – também conhecida como “Barbie humana” – declarou que não fazia ingestão de alimentos e bebidas, apenas se alimentava de luz solar.

Agora, uma nova adepta da prática: a influenciadora digital Audra Bear. A americana, de 25 anos, declara que não ingere mais alimentos sólidos, apenas sucos de frutas, chá verde, água de coco e smoothies. Ela afirma ainda que, por meio da energia que absorve na respiração, consegue passar quase 100 dias sem comer.

Para a nutróloga Nívea Bordin Chacur, da Clínica Leger, o ser humano é capaz de viver sem alimentos sólidos, mas precisamos da ingestão de carboidratos, gorduras, proteínas, água e micronutrientes para mantê-lo funcionando.

“Temos a opção de alimentos pastosos ou líquidos. Eles podem ser triturados ou amaçados para a ingestão, mas são inúmeros micro e macronutrientes que nosso organismo precisa para trabalhar de forma correta e se manter saudável. Precisamos dessas substâncias para ficarmos longe de doenças causadas, principalmente, pelo desequilíbrio do aporte de nutrientes”, comenta.

“São muitos os danos decorrentes de uma alimentação desequilibrada. Fraqueza, alteração do sono, esquecimento, constipação, unhas e cabelos fracos e dores musculares são os mais comuns. Doenças também podem surgir, como diabetes, obesidade, osteoporose e alergias. O nosso corpo é uma máquina complexa e não consegue funcionar sem os devidos nutrientes”, conclui.

Leia mais:
Injeções semanais para combater a gordura viram febre
Quatro dicas para driblar a compulsão alimentar no inverno
Conheça a dieta que permite o consumo de vinho e chocolate