Foto: Divulgação

A fórmula para viver mais já sabemos de cor e salteado: não fumar, beber uma taça de vinho por dia, praticar exercícios físicos e comer cinco porções de frutas e legumes diariamente. Fácil não é, mas a ciência deu um empurrãozinho no nosso esforço ao mostrar, em números, quanto se vive mais seguindo à risca tal recomendação: 14 anos, em média. A novidade é que os pesquisadores acabam de revelar o outro lado da moeda, ou seja, qual é o ingrediente principal da receita para morrer mais cedo. A resposta? Ser sedentário.

Uniforme para malhar: a nova coleção da Adidas by Stella McCartney – Fotos: Divulgação

O sedentarismo pode roubar de dois a cinco anos das nossas vidas. Ele virou epidemia no mundo, feito uma doença – no Brasil, inclusive –, e pesquisas mostram que mata mais do que o cigarro. “Ele já é o segundo fator de risco de mortes, perdendo apenas para a hipertensão”, diz a médica Sandra Matsudo, do Celafiscs, centro de estudos da ciência do esporte.

São 5 milhões de vítimas a cada ano. Uma em cada dez mortes precoces é atribuída à inatividade física. E o pior: se a inatividade vem desde a infância, a probabilidade de morrer precocemente é ainda maior. O relatório Projetado para se Mover, apresentado pela Nike em parceria com entidades de medicina esportiva renomadas, como The American College of Sports Medicine e The International Council of Science & Physical Education, alerta que a atual geração de crianças está mais sedentária do que nunca e pode ter uma expectativa de vida cinco anos menor do que a de seus pais. Entre os pequenos, a quantidade de obesos quintuplicou nos últimos 20 anos.

Mais imagens da coleção da Adidas by Stella McCartney – Fotos: Divulgação

Porque passam o dia inteiro em frente à televisão e se entopem de guloseimas, crianças e adolescentes já desenvolvem doenças de adultos. Uma das medidas mais eficazes de combate à doença é a ginástica. Os exercícios aumentam a capacidade de as células absorverem insulina, o hormônio que regula a quantidade de açúcar no sangue. A atividade física também controla a pressão arterial e mantém veias e vasos saudáveis. Ela ainda reduz os níveis de gorduras no sangue e aumenta em até 30% o índice de HDL, o colesterol bom, que limpa as artérias.

Campanha Adidas by Stella McCartney – Fotos: Divulgação

O corpo humano foi feito para se movimentar: é o que faz ossos, músculos, coração e órgãos vitais funcionarem normalmente. Não é preciso gastar horas suando a camiseta e o top para deixar o time dos sedentários. Sessões de meia hora, cinco vezes por semana, no mínimo, estimulam a irrigação sanguínea e a oxigenação de todos os órgãos. Uma caminhada ou um passeio de bicicleta, por exemplo, já valem, desde que façam o coração bater mais rápido e a frequência respiratória subir. Cerca de vinte minutos de uma atividade mais vigorosa, como corrida, três vezes por semana, também são suficientes.

Para as crianças, a recomendação é outra. São necessários 60 minutos diários de atividade física, mas isso inclui também as brincadeiras ao ar livre. Ah, sim, e não é porque você fez a sua meia horinha de ginástica no dia que tem carta branca para passar o resto do dia sentado. “Os ganhos da atividade física vão por água abaixo”, diz Sandra Matsudo. A regra, aqui, é levantar-se de hora em hora e ficar em pé de 5 a 10 minutos. Só não caia na tentação de comer um docinho a cada intervalo…

Assine a Harper’s Bazaar