Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

Como maior órgão do corpo e responsável por formar uma barreira de proteção, a pele enfrenta diversas agressões, que prejudicam o seu equilíbrio. Portanto, existem pelo menos três ações que devemos ter para preservar a saúde do tecido cutâneo: hidratar, reparar e proteger.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

“O paciente que começa este tratamento por volta dos 25 e 30 anos está plantando uma boa semente. É muito importante que a gente evite ou retarde o aparecimento dos sinais do envelhecimento, para que não ocorram os primeiros danos estruturais precocemente na pele”, explica a dermatologista Dra. Claudia Marçal.

Segundo Mika Yamaguchi, farmacêutica e diretora científica da Biotec Dermocosméticos, enquanto a hidratação para manter a barreira cutânea da pele íntegra, a proteção evita os danos externos, principalmente da radiação solar e poluição, e a reparação serve para combater os radicais livres.

A principal tendência de skincare entre as brasileiras é ter rotinas simples, com poucos produtos que reúnem tecnologia, mas eficiente. Para te ajudar a aderir a este tipo de cuidado, veja três componentes ideais para que você tenha estes três cuidados vitais em um produto:

Vitamina C

Os benefícios da vitamina C para a pele do rosto e do corpo são diversos, pois o ativo possui diferentes funções.

“A vitamina C possui ação reparadora, já que, devido a sua alta propriedade antioxidante, protege a pele contra os danos da oxidação causada pelos radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce. Além disso, ela é capaz de uniformizar o tom de pele, clareando e prevenindo manchas ao inibir a enzima que causa as alterações, e hidratar e proteger o tecido cutâneo, já que também age fortalecendo a barreira da pele”, conta o dr. Lucas Fustinoni.

Mas é bom investir em fórmulas que garantam proteção contra a oxidação do ativo, além de tecnologia de liberação prolongada. “Isso faz com que o ativo seja liberado aos poucos na pele durante todo o tempo de uso, o que garante maior eficácia e resultados mais rápidos”, destaca o farmacêutico Maurizio Pupo, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Ada Tina Italy.

Ácido hialurônico

O ácido hialurônico é um composto glicosaminoglicano, encontrado, naturalmente, na matriz extracelular da pele, segundo Isabel Piatti, Consultora Executiva em Estética e Inovação Cosmética e conselheira do Comitê Técnico de Inovação da Buona Vita.

“Conforme envelhecemos a produção do ácido diminui gradativamente. Isso é um processo biológico complexo e contínuo que se caracteriza por alterações celulares e moleculares. Por causa dessa diminuição, as rugas surgem. Podemos fazer a utilização da substância para a reposição em nosso organismo, hidratando e restaurando a pele facial”, explica Isabel.

Se a intenção é só hidratação, a melhor opção é o ácido hialurônico de alto peso molecular. Agora, se voocê quiser que o ingrediente penetre mais na pele, precisa escolher o de baixo peso molecular. “Por estar num tamanho menor, ele consegue permear para as camadas mais profundas e, dessa maneira, melhora a autohidratação do tecido conjuntivo e cria um reservatório hídrico. Além disso, ele estimula a renovação celular”, explica Mika.

“Ainda existe o ácido hialurônico de baixíssimo peso molecular, que promove o estímulo de colágeno e a produção natural deste ácido, aumentando a firmeza da pele, reduzindo rugas e linhas de expressão, conferindo efeito preenchedor e hidratando tecido cutâneo”, sugere Maurizio Pupo.

Ácido ferúlico

O ácido ferúlico é uma nova substância aprovada como filtro solar no Japão, podendo desta forma ser utilizado em protetores solares ou produtos de combate aos efeitos nocivos dos raios UV.

“Dados científicos mostraram que a aplicação tópica do ácido ferúlico inibe a formação do eritema (vermelhidão) provocado pela exposição da pele aos raios UVB. Como antioxidante, o ácido ferúlico fornece hidrogênio para a neutralização dos radicais livres, compostos estes relacionados com o envelhecimento das células”, afirma a dermatologista Claudia Marçal.

Outros estudos já indicaram os derivados do ácido ferúlico como inibidores no processo de geração de melanina. “Outras forma de aplicação é como coadjuvante no clareamento de manchas, pois inibe a formação de melanina, mas uma característica muito importante é que ele tem a capacidade de estabilizar em até 90% a vitamina C pura”, afirma a médica.

“Mesmo com esse poder protetor, o uso do filtro solar com FPS de no mínimo 30 após o uso do creme antioxidante é fundamental para evitar os danos da radiação solar”, finaliza a dermatologista.