Foto: Divulgação

Cuidar da saúde da pele, criar uma rotina extensa de skincare e ficar atento aos resultados positivos são etapas que já viraram hábito de muitos brasileiros. Com a popularização de diferentes tipos de cuidados e a inserção de produtos que fazem parte de rotinas de cuidado estrangeiras, como a coreana ou oriunda dos países nórdicos, além de um investimento tecnológico expressivo na área, as estratégias para uma pele perfeita ficam cada vez mais complexas.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Na realidade, para muitas brasileiras, a rotina de cuidados com a pele está muito mais associada a um sentimento de bem-estar, e menos relacionada com a beleza em si. Segundo a pesquisa “A relação das brasileiras com a pele do rosto”, feita pela Avon em parceria com o instituto IBOPE Conecta, 48% das entrevistadas responderam que os sentimentos de bem-estar e saúde são os mais importantes em relação ao cuidado do rosto, enquanto somente 27% afirmaram que cuidam da pele para se sentirem mais bonitas. O estudo analisou hábitos, sentimentos e práticas de 1.000 mulheres, entre 25 e 60 anos, de todas as regiões do Brasil.

Apesar disso, de acordo com o levantamento, seis em cada dez mulheres se sentem insatisfeitas com a pele do rosto. Apesar de ser um cuidado que, teoricamente, é menos voltado para a beleza, ainda é considerado um ponto importante, sendo levado em consideração no momento da escolha de produtos e ferramentas que farão parte da rotina de skincare. Essa busca por uma pele bonita, com aparência saudável e uniforme, pode levar ao uso exagerado de dermocosméticos e cosméticos em geral, o que pode causar problemas e irritações.

Um dos primeiros sinais no caso de uso excessivo de cosméticos é algum tipo de reação na pele, que pode ir desde o aparecimento de espinhas até vermelhidão em alguns pontos. Hipersensibilidade e ardência no momento da aplicação de algum produto, como base, corretivo ou até mesmo um creme hidratante, também são indicativos de que alguma coisa está errada, e, dependendo da gravidade, devem ser avaliados por um profissional, impedindo o agravamento do quadro.

Efeito rebote

O famoso efeito rebote é outro problema que surge com o uso em excesso de produtos para controle de oleosidade, fazendo com que o corpo entenda que precisa produzir ainda mais óleos naturais para repor o súbito ressecamento da pele.

Lavar o rosto com frequência é outra prática que pode desencadear o efeito rebote. Outros sinais, como irritabilidade e vermelhidão nos olhos, mostram, nesse caso, o uso excessivo de rímel, delineador ou sombra, que devem ser usados com cuidado por conta da alta sensibilidade dessa região do rosto.

Além dos problemas para a pele, o uso de dermocosméticos de maneira não cuidadosa pode até mesmo atrapalhar um tratamento que esteja sendo feito, diminuindo os resultados por conta de um erro de incompatibilidade química, inativando as propriedades do produto.

Cuidados no uso de cosméticos e dermocosméticos

Antes de começar uma rotina de cuidados, é importante consultar um dermatologista, para entender qual seu tipo de pele e quais são as necessidades específicas em questão de vitaminas, além de ser o espaço ideal para a identificação de problemas de pele, como melasma ou rosácea, já que esses pontos são essenciais para a escolha de tratamentos e produtos que farão parte da rotina.

Outro ponto importante é o cuidado na escolha de produtos. A maioria dos cosméticos e dermocosméticos é feita por profissionais formados na faculdade de Cosmética, mas é possível encontrar empresas que fazem produtos artesanais. De qualquer forma, é importante ficar atento e conferir se os itens têm registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), seguindo as normas de segurança recomendadas.