Os atores Owen Wilson e Ben Stiller em cena de Zoolander 2
Os atores Owen Wilson e Ben Stiller em cena de Zoolander 2

Por Luísa Graça

Um ano atrás, durante o desfile do inverno 2015 da Valentino em Paris, Derek Zoolander e seu ex-rival Hansel cruzavam a passarela vestindo peças da grife italiana e fazendo suas signature poses Blue Steel e Le Tigre. “Estamos dentro de um filme?”, era o que passava pela cabeça dos fashionistas presentes. Zoolander, uma sátira do mundo da moda que tem os dois caricatos e vaporosos modelos masculinos como personagens centrais (interpretados por Ben Stiller e Owen Wilson, uma piada genial por si só), não rendeu tanto em bilheteria na época de seu lançamento, em 2001, mas virou cult em DVD. Para a sequência, que estreia neste mês no Brasil e traz os rapazes “top” em missão contra um plano maligno cujo objetivo é o extermínio de todas as pessoas “ridiculamente bonitas” da face da Terra, a estratégia de lançamento do filme foi mais ambiciosa e tomou o mundo da moda de assalto ao anunciar Zoolander 2 durante um desfile “de verdade”. E, no decorrer dos meses seguintes, houve investimento pesado em ações de divulgação.

O elenco, que tem ainda Penélope Cruz, Kristen Wiig e Will Ferrell, rodou o mundo, passando até pelo Rio, para divulgar o filme em peças promocionais que sacudiram a cultura pop. Derek e Hansel como manequins vivos na vitrine da Valentino da Piazza di Spagna, em Roma; Derek e Hansel comentando política no programa de TV Saturday Night Live; Derek e Cara Delevingnse beijando em frente à Torre Eiffel. Moda e cinema nascem de processos opostos. De coleção em coleção, a moda acontece rápido, é sobre o agora e o que vem a seguir. O cinema surge de um processo bastante lento e é mais sobre fixar um momento no tempo. Entretanto, cinema e moda são ambas indústrias calcadas em imagem e beleza, e Hollywood tem uma longa história de fascínio por tudo que há de belo, glamoroso e insólito no universo da moda – do maravilhoso Blow-Up (1966) ao pop Patricinhas de Beverly Hills (1995).

A aparição de Derek Zoolander e Hansel no desfile da Valentino
A aparição de Derek Zoolander e Hansel no desfile da Valentino

Talvez não houvesse Zoolander e seu número absurdo de participações de personalidades – no primeiro, David Bowie, Mark RonsonDonatella Versace etc.; neste segundo, Justin Bieber, Kanye West e Marc Jacobs e mais –, se não tivesse existido antes Prêt-à-Porter, de Robert Altman com Sophia Loren e Kim Basinger, de 1994, rodado durante a semana de moda em Paris, com aparições de Sonia Rykiel, Jean Paul Gaultier e Christian Lacroix.

Neste ano, a moda aparece como cenário para comédias escrachadas à la Zoolander 2 tanto quanto para filmes autorais. Os
incensados diretores Nicolas Winding Refn (Drive) e Olivier Assayas (Acima das Nuvens) lançam cada um em 2016 thrillers aguardadíssimos, ambos com personagens que trabalham com moda: Elle Fanning como modelo em The Neon Demon, longa do dinamarquês, e Kristen Stewart como assistente de compras em Personal Shopper, do francês.

Os dois filmes abordam questões como o culto à beleza, à juventude e à fama. Entretanto, é em comédias como Zoolander 2 e Ab Fab: The Movie, outra esperada estreia programada para este ano, baseada na série de TV Absolutely Fabulous, de sucesso meteórico no Reino Unido nos anos 1990, que a moda encontra ainda mais espaço, especialmente porque filmes cômicos dão a essa indústria que se leva sempre tão a sério uma chance de rir de si mesma. O sucesso de O Diabo Veste Prada (2006), cuja sequência, dizem, está em pré-produção, se deve à brincadeira inteligente e bem enredada que faz com clichês do nicho exclusivo e glamoroso que é a moda. Pierpaolo Piccioli, um dos diretores criativos da Valentino, afirmou que a parceria com o longa dirigido e protagonizado por Ben Stiller rendeu tanta notoriedade a Zoolander 2 quanto à grife italiana: “Trazê-lo para nosso desfile foi bastante subversivo. Tínhamos certeza de que poderíamos trabalhar com seriedade e rir ao mesmo tempo. Por que não?”.

Com orçamentos de marketing cada vez mais apertados, mais do que nunca estúdios e cineastas se aliam a marcas de roupas com o intuito de ambos capitalizarem, como nas colaborações da Prada e Brooks Brothers em O Grande Gatsby e Rodarte com Cisne Negro, por exemplo. Na première nova- iorquina de Zoolander 2, tops como Gigi Hadid participaram de um desfile com peças de Marc Jacobs, Valentino, Tommy Hilfiger e Alexander Wang – labels que contribuíram para o figurino do longa. Enquanto isso, vale dizer, estrelas da vez substituem modelos como rostos dessas marcas, vide Jennifer Lawrence na Dior, Michelle Williams na Louis Vuitton e os atores escolhidos a dedo para as campanhas masculinas da Prada. Moda vende. Hollywood vende. E, se o cinema flerta com a moda, em inspiração ou business, é seguro dizer que a moda flerta right back at it.