Obra do artitsa Felipe Sztutman/Foto: Reprodução

Foi inaugurada nesta quarta-feira (25.01), em São Paulo, uma nova mostra a céu aberto  promovida pelo Centro Cultural  Banco do Brasil (CCBB). a URBE – Mostra de Arte Pública, nos arredores do Vale do Anhangabaú.

Julia Clemente, uma das curadoras, diz que a URBE tem o intuito de interferir na vida cotidiana do Centro da Cidade com obras capazes de intervir no espaço e provocar uma transformação na paisagem urbana. São, portanto, obras chamadas de site especific . “A proposta é investigar as camadas do tempo, cada uma com os seus valores estéticos, históricos e sociais.”.

Além de Julia há outros dois curadores Felipe Brait e Alessandra Marder, cada um com uma especialidade diferente. “Os realizadores queriam curadores jovens que trouxessem uma nova perspectiva e um olhar inovador, com uma linguagem objetiva.”, explica Julia, de 24 anos, a mais nova dos três selecionados.

Depois de um longo processo de apuração, quatro coletivos e apenas um artista solo foram escolhidos (GOMA, UrbanScreen, ZOOMB, DOMA e Felipe Stutzman), sendo três instalações e duas projeções cada qual com uma poética diferente. Vale ressaltar que as obras tem maior impacto durante a noite e durante os quatro dias de exibição os artistas irão ministrar workshops.

Artistas/coletivos:

GOMA – Projetos mais arquitetônicos, mexem  com elementos que já estão na cidade. É deles a fachada do CCBB que fazeram uma pixação em néon, Julia considera que será a obra que irá gerar mais polemica.

Felipe Stutzman – O único artista solo, traz na sua obra um novo material – fios retroluminiscentes. Através de plantas antigas da cidade descobriu que no Vale do Anhangabaú passava o Córrego das Almas que é reproduzido.

DOMA – Coletivo argentino construiu uma escultura que servirá como mirante para observar as demais obras do projeto. É uma das poucas obras que é 100% diurna.

UrbanScreen – Coletivo alemão pela primeira vez na América,  são pesquisadores de Vídeo Mapping. Sua projeção toma o Prédio da Prefeitura. A pesquisa para a realização da obra foi feita através do Google Maps. Segundo Julia, os curadores queriam que a intervenção artística no Prédio da Prefeitura fosse feita por artistas internacionais para que nela não houvesse uma obra de cunho político ou critico em relação ao governo.

ZOOMB – O Coletivo fez uma projeção interativa. Oito projetores que são ativados a medida que as pessoas pisam no chão da rua.

Serviço : URBE – Mostra de Arte Pública

MOSTRA: 25, 26, 27, 28 e 29/01/2012, instalações permanentes e projeções das 20h00 às 22h00, arredores do Vale do Anhangabaú.

WORKSHOPS: 26, 17h00-19h00 e 19h15-21h15; 27, 15h00-18h00; 28, 15h00-19h00 e 29, 17h00-19h00 – CCBB São Paulo ( Rua Álvares Penteado, 112)