Trabalho de Antonio Obá/Divulgação

Do dia 18 a 27 de maio, acontece o projeto Brasília Contemporânea, na capital federal. Nesta 3ª edição, o evento foca na arte sobre papel, com o tema É perdendo o medo de errar que matamos o monstro do meio-dia.

Serão expostos cerca de 60 trabalhos, entre obras inéditas e fixas do acervo, com a curadoria de Thaís Catunda e Flavia Gimenes. Lêda Watson, Fátima Madeiro, Sandra Lapage, Carlos Pileggi, Antonio Obá e Helouysa Costa, são alguns dos artistas que terão seus trabalhos exibidos.

Escolhido pela curadoria como o mote da exposição, o fragmento poético “é perdendo o medo de errar que matamos o monstro do meio-dia”, faz alusão à presentificação do futuro, à angústia gerada pela aparente inércia das coisas que tendem a manter-se no presente, ou à paralisia diante da necessidade de produção constante, como se o tempo fosse industrial.

A mostra procura também revelar a inquietação da sociedade contemporânea com o medo de errar, de experimentar e de incorporar o inesperado ao cotidiano. Surpreendentemente, a interferência do erro no processo criativo muitas vezes pode ser melhor do que o resultado idealizado.

“Quando passamos a conviver com arte no cotidiano, tomamos gosto e passamos a nos informar mais sobre o assunto; é como se fosse a porta de entrada de um mundo intrigante e maravilhoso, uma redescoberta de si, um olhar novo sobre o mundo”, diz Thaís.

Vale a pena se programar!

Brasília Contemporânea
18 a 27 de maio
Horário: 10h às 20h
Salão do bloco I da SQN 307 – Plano Piloto