Foto: Divulgação/João Marques

Se você segue Lázaro RamosTaís Araújo ou Bruno Gagliasso no Instagram, provavelmente já esbarrou com algum vídeo de Agnes Nunes. Isso porque essas celebridades – entre outros grandes nomes – se apaixonaram pela voz doce e suave, o sorriso encantador e a delicadeza da cantora, que tem apenas 18 anos.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Agnes começou sua trajetória compartilhando covers em seu Instagram. Gravados em casa, com a ajuda de um teclado, os vídeos logo renderam diversos seguidores à cantora, que atraiu gravadoras e outros artistas. Desde então, Agnes Nunes já gravou ao lado de Tiago Iorc e Xamã. Durante a quarentena, a jovem finalizou seu novo EP, chamado “Romaria”.

“Romaria é a peregrinação que algumas pessoas fazem em buscas de santuários. Elas costumam passar por vários lugares e, neste sentido, ‘Romaria’ é a peregrinação que eu faço em busca de mim mesma, de quem sou”, disse a cantora sobre o EP em entrevista à Bazaar.

Com quatro músicas, o trabalho homenageia algumas cidades pelas quais Agnes já passou – por isso, as canções se chamam “Rio”, “Lisboa” e “São Paulo” – e uma que lhe causa curiosidade e resultou na faixa “Hiroshima”. “São lugares pelos quais sou apaixonada. Hiroshima foi a única que não visitei ainda, mas tive um sonho com ela e vai ser a última faixa a ser lançada. As outras músicas já existiam, na verdade, só foram finalizadas durante a quarentena”, contou.

Nesta sexta-feira (24.07), a cantora lançou a segunda faixa, chamada “Lisboa”, e seu clipe. Segundo Agnes, as canções falam de amor. “‘Lisboa’ é muito leve, fala sobre um amor mais adolescente. ‘São Paulo’ é sobre um amor mais correria. ‘Hiroshima é a única que não trata do assunto, mas fala sobre ressurgir das cinzas. Digo que Hiroshima é aqui durante a quarentena e, na música, compartilho os pensamentos e conclusões que tive neste período”, explica.

Representatividade

Foto: Divulgação/João Marques

Quando era mais nova e ainda morava na Paraíba, Agnes Nunes foi vítima de racismo, o que prova que, infelizmente, os agressores não vem idade ao julgar outro ser humano. “Passei por coisas que não precisava ter passado, mas que hoje entendo que foram fundamentais para ser quem sou hoje. Inclusive, me deram forças para conseguir dar suporte para outras meninas também. Para conseguir dar voz re representar de alguma maneira adolescentes negros”, analisa a cantora.

Para ela, sua presença nas redes sociais deixou de ser apenas uma plataforma para sua música e passou a ser uma ferramenta de representatividade. “Saber que inspiro e dou força para outras meninas é o que me move e o que me faz não desistir. Acho que, hoje em dia, a gente tem que usar as redes sociais ao nosso favor, de forma positiva e inteligente”, acrescenta.

“Me sinto muito privilegia de representar tanto outros adolescentes negros, mas não só eles. Também sou nordestina, sou paraibana. Me sinto lisonjeada de representar essas pessoas hoje em dia e de influenciar elas de maneira positiva”, lembra Agnes sobre sua origem.

Durante a entrevista, a cantora brinca que ainda está descobrindo seu lado de influenciadora digital: “Outro dia vi um vídeo de uma menina que falava que começou a usar o blush marcado. Ela dizia que nunca tinha visto meninas negras usarem a maquiagem assim, mas que depois que me viu usando, passou a se maquiar assim também. E ela não foi a primeira pessoa que vi dizendo isso. Fiquei muito feliz de ver as pessoas saindo da bolha, indo além da sua zona de conforto”.

Carreira

Foto: Divulgação/João Marques

Quando questionada sobre a sensação de ver tantos artistas admirando seu trabalho, Agnes não esconde sua animação ou disfarça sua felicidade. A cantora se descreve como fã e, por isso, diz que sempre fica em êxtase ao ver pessoas notáveis compartilhando seu trabalho.

“Esses dias, Caetano [Veloso] me repostou e eu sou muito, muito fã dele. Ele escreveu para mim com palavras tão bonitas e eu fiquei muito emocionada. É sempre uma surpresa e acho que nunca vou perder esse brilho nos olhos com as pessoas que me admiram. Me sinto honrada de ser percebida pelas pessoas que cresci vendo e ouvindo”, reflete.

Um de seus maiores desejos para o fim da pandemia é de unir todos estes artistas – alguns que ela ainda só conhece pela internet – em um mesmo evento. “Estou louca para acabar este momento para fazer um sarau. Algo que reúna tantos artistas maravilhosos no mesmo lugar, para a gente se conhecer. Quero muito voltar a conexão maravilhosa de calor humano com os meus fãs”, planeja Agnes.

Mesmo ainda trabalhando e lançando as músicas de seu EP, a cantora revela que até o final do ano vai lançar um álbum e que está animada para o trabalho que tem pela frente. Nós também estamos animados, afinal, é impossível não se encantar pela luz que Agnes emana – mesmo em uma conversa feita através de vídeo.