"Agora todas as mulheres podem se enxergar como Barbies", afirma Rebecca
Foto: Divulgação

Rebecca, de apenas 23 anos, é, de fato, uma personalidade fora de caixa. Começou ainda muito nova cantando funk “proibidão” no Morro São João, no Rio de Janeiro, assim como outros grandes artistas do gênero.  Mas dentro da caixa da boneca Barbie, mostra para as meninas e mulheres de todo o Brasil que, por aqui, esse é o tipo de mulher que verdadeiramente nos representa. Não só ela, mas também as outras integrantes do clipe da música “Barbie”, lançado nesta sexta-feira (14.01).

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

No vídeo superproduzido da canção, Rebecca, Lexa, Pocah e Danny Bond mostram que a “Barbie está diferente” e propõem, além de um refrão marcante e animado, uma reflexão sobre a boneca mais fashionista do mundo e como ela realmente é no Brasil, afinal, em território brasileiro, as antigas MC’s, como o quarteto e outras artistas como Anitta e Ludmilla, dominam as plataformas digitais de streaming de música, além de servirem como referência para milhões de pessoas por meio das redes sociais.

“Queria muito trabalhar com artistas mulheres que me representassem. ‘Barbie’ serviu pra mostrar que nem toda Barbie precisa ter cabelo loiro, ser magra, aquela Barbie padrão que não nos representa. Queria desconstruir isso, através do meu trabalho, do clipe e fiquei muito feliz com o resultado”, afirma Rebecca.

Apesar disso, a artista, que tem uma filha de quatros anos, agradeceu a Mattel, responsável pela produção da boneca, não só pela autorização para a realização do clipe, mas também por estar trabalhando para desenvolver brinquedos mais diversos: “antigamente, quando eu era pequena, não conseguia encontrar nenhuma Barbie preta que me representasse. Hoje em dia, já consigo comprar para a minha filha, então ela já consegue se ver nas Barbies. Isso para mim é muito reconfortante”.

Para Rebecca, a moda faz parte da identidade visual da artista  e, em razão disso, ela e as outras três cantoras ainda apostaram em um editorial para divulgar os figurinos e cenários utilizados na produção do vídeo da música. Sobre os figurinos, ela lembrou que este foi o clipe mais caro de sua carreira, muito pelo investimento feito nas roupas, e brincou: “de um tempo para cá, eu comecei a usar [peças de] grife. Digamos que neste clipe, estou grifada e não foi parceria, não, tá?!”.

A artista ainda ressaltou que, apesar de hoje já podermos dizer que temos Barbies de todos os tipos, o clipe é uma oportunidade para “todas as mulheres poderem e conseguirem se enxergar como Barbies”. A canção “Barbie” está disponível em todas as plataformas digitais e você pode assistir o clipe acima.