Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Nesta terça-feira (16.08) faleceu aos 71 anos a artista Elke Maravilha, que estava internada desde o dia 20 de junho. “Avisamos que nossa Elke já não está por aqui conosco. Como ela mesma dizia, foi brincar de outra coisa. Que todos os deuses, que ela tanto amava, estejam com ela nessa viagem. Eros anikate mahan ( O amor é invencível nas batalhas)”, escreveu a família em comunicado no Facebook.

De acordo com  o irmão de Elke, Frederico, a performer foi operada devido a uma úlcera e ficou em coma induzido. Em entrevista ao G1, ele revelou que ela faleceu por volta da 1h da manhã.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Nascida no final da Segunda Guerra Mundial, em 1945, Elke veio para o Brasil de São Petersburgo, Rússia, aos 6 anos de idade. Por aqui, ela desempenhou diversos papéis: foi bancária, secretária trilingue, bibliotecária, modelo, intérprete musical, apresentadora.

Conhecida pelo seu estilo excêntrico, ela era figura consagrada no mundo da moda. “Mesclando exotismo, misticismo, alegria, loucura e profundo conhecimento do humano, sua vibração contagiante a faz mensageira de utopias e portadora de esperanças”, escreveu sobre si mesma em seu blog.

Sobre a morte, Maravilha chegou a comentar com o jornal Extra ano passado: “Nisso eu também fui bem preparada. Quando pequena, meu pai todo dia me falava: ‘Não se esqueça que eu vou morrer, sua mãe vai morrer e você vai morrer’. E ele me levava a todos os velórios, não me poupava de nada. Me fazia ver tudo. Me ensinou a ser trágica, mas nunca a ser dramática. Nunca!”.