Mariana Gomes, bailarina do Bolshoi - Foto: divulgação
Mariana Gomes, bailarina do Bolshoi – Foto: divulgação

Por Raphaël Miranda e Lucas Fernandes

Após 16 anos sem vir ao Brasil, o Ballet do Teatro Bolshoi, da Rússia, fundado há 235 anos e maior referência em dança clássica no mundo, volta ao país com apresentações no Rio de Janeiro e São Paulo, com seu elenco principal e as produções completas das obras Giselle e Spartacus.

Uma das bailarinas do elenco principal, Mariana Gomes, de 28 anos, conversou com Bazaar enquanto realizava tratamentos em seu cabelo no salão Loft, no Shopping Cidade Jardim.

Primeira brasileira a ser contratada pelo Bolshoi, iniciou sua carreira no ballet aos sete anos na Bahia, onde nasceu. Mudou-se para Joinville e, aos 14 anos, participou de um teste com mais 4.700 concorrentes na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil e chamou a atenção de Vladimir Vasiliev, renomado bailarino russo e um dos diretores da companhia.

Mudou-se, então, para Moscou e deu início à sua carreira internacional. Sofreu muito com as barreiras do clima, sempre muito gelado, e do idioma. Dez anos depois, Mariana lembra com bom humor das dificuldades que enfrentou: “Eu não falava uma palavra em russo, eu era muito nova, as pessoas da companhia eram muito fechadas, não estavam acostumadas a receber estrangeiros, além do frio ser muito rigoroso e duradouro. A situação ficava ainda mais complicada porque era difícil falar com minha família e amigos, não tinha muita comunicação online, aplicativos de mensagens e coisas assim”, conta.

Cena da peça Giselle, em cartaz no Brasil
Cena da peça Giselle, em cartaz no Brasil – Foto: reprodução

Dos ensaios que fazia sozinha em casa ao chegar na Rússia, batalhando para ser selecionada para algum espetáculo, até hoje em dia, em que é parte do principal grupo de bailarinos do Bolshoi, Mariana carrega o hábito de ensaiar de seis a oito horas por dia, durantes seis dias da semana, com folga apenas às segundas-feiras, tudo para realizar com perfeição os passos nas 26 apresentações mensais que realiza. “Hoje completei a faculdade de Pedagogia em Dança Clássica e sou uma bailarina de primeira linha do Corpo de Baile, faço solos, trios e quartetos”, orgulha-se.

Sobre os cuidados com o corpo e a saúde em uma atividade que exige muita disciplina, conta que possui uma alimentação estritamente saudável, não come carne e que o foco são seus pés, literalmente a base de sua carreira. “Não uso salto alto, somente em ocasiões muito específicas. Após cada apresentação eu descanso os meus pés em água quente com sal”, diz. Ela mesma é responsável pela maquiagem para o espetáculo e demora uma média de uma hora e meia nesse processo. E como faz para cuidar da pele em um país tão gelado e com pouco sol? “Uso hidratante e abuso da sauna, pois é a sensação mais próxima que tenho do calor do sol”, conta Mariana.

Outra preocupação é o cuidado com suas madeixas: “Tento cuidar do cabelo seguindo as dicas que peço ao Beto (o hairstylist Beto Silva), do salão Loft, e quando venho ao Brasil passo pelas mãos dele para um tratamento com a linha Healthy Sexy Hair Reinvent Color Care. Os produtos são ótimos após os espetáculos, pois meu cabelo fica cheio de laquê e eles ajudam muito a retomar a aparência normal dos fios. Passo o shampoo seco a partir da raiz e vou espalhando pelos fios com as mãos, é ótimo!”, revela.

Produtos da linha Healthy Sexy Hair Reinvent Color Care utilizados por Mariana - Foto: divulgação
Produtos da linha Healthy Sexy Hair Reinvent Color Care utilizados por Mariana – Foto: divulgação

O espetáculo que ela apresenta no Brasil chama-se Giselle e narra a história de uma camponesa que se apaixona por um nobre disfarçado de aldeão e, ao descobrir sua verdadeira identidade, morre de decepção e sua alma passa a fazer parte das Willis, grupo de almas de mulheres que morrem às vésperas do casamento. O figurino foi adaptado por Givenchy e a coreografia é de Vladimir Vasiliev.

Mariana vem ao Brasil uma vez por ano, época em que aproveita para descansar e curtir o sol de Salvador, de onde são seus pais. Se tem planos de voltar a morar aqui? “Sei que o Brasil é o meu lugar, que o fato de eu ter sido a primeira brasileira no Bolshoi pode me abrir portas, mas ainda tenho uns dez anos de carreira pela frente antes de pensar nisso”.

Turnê Bolshoi Brasil 2015
São Paulo – Teatro Bradesco (Shopping Bourbon)

Spartacus – De 24 a 26 de junho, quarta e quinta, às 21h, sexta, às 21h30
Giselle – Dias 27 e 28 de junho, sábado, às 21h, domingo, às 15h e 21h
Ingressos: R$ 50,00 até R$ 450,00
Vendas: Ingresso Rápido