Busca Home Bazaar Brasil

Arte do oriente ganha exposição única em Paris

Musée des Arts Décoratifs organiza mostra que apresenta obras de arte, design, fotografia e peças de vestuário que surgiram em mais de um século de influências japonistas

by Felipe Stoffa
Yohji Yamamoto - Foto: Getty Images

Yohji Yamamoto – Foto: Getty Images

Foi no ano de 1868 que o Japão abriu, pela primeira vez, suas fronteiras para o oeste, no período conhecido como Era Meiji. Bastou um ano para que o Musée des Arts Décoratifs, em Paris, fundado em 1864, realizasse uma exposição sobre a arte do oriente.

Por mais de um século, os dois países mantêm intenso diálogo, tanto político, como também no caso da história da arte e da moda. A cultura japonesa influenciou diversos movimentos, escolas e criações.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Issey Miyake - Foto: Getty Images

Issey Miyake – Foto: Getty Images

Como forma de celebração dos 160 anos de trocas, o museu parisiense organizou uma enorme mostra batizada de “Japon Japonismes”, que inaugura nesta quinta-feira (15.11), como parte do programa “Japonismes 2018: Les Âmes en Ressonance”, em que 100 instituições espalhadas pela capital francesa discutem a diversidade do assunto.

“Essa é uma importante mostra, que trabalha as muitas noções sobre japonismos, além de ser a maior do programa”, conta Béatrice Quette, uma das curadoras da instituição. “Ela também celebra os 160 anos de relações diplomáticas entre os governos francês e o japonês”, completa.

Dior de John Galliano - Foto: Getty Images

Dior de John Galliano – Foto: Getty Images

A exposição apresenta trabalhos de design, obras de arte, peças de roupas e outras expressões artísticas que discutem 1.500 anos de arte. “Uma grande cronologia”, diz Béatrice.

Para organizar o espaço, a expografia foi assinada pelo renomado arquiteto Sou Fujimoto, e foi dividida entre cinco eixos curatoriais: agentes do descobrimento, natureza, tempo, movimento e inovação.

Para a curadora, alguns dos destaques ficam por conta da chaise de bambu assinada pela designer Charlotte Perriand, de 1940; um vaso de cerâmica do século 19, de François-Eugène, com ilustração do Monte Fuji; e um vestido da coleção de verão 2016 de Issey Miyake.

Comme Des Garçons - Foto: Getty Images

Comme Des Garçons – Foto: Getty Images

Mas quem transita por lá encontra também obras de Hokusai, Emile Gallé, René Lalique, Kuramata Shiro, Charlotte Perriand e Tanaka Ikko.

O cruzamento entre Ocidente e Oriente ganha força nas criações de moda, com peças de Rei Kawakubo, da Comme Des Garçons, e John Galliano, que também se influenciou pela estética japonista. “O público tem a oportunidade de conhecer uma história completa e um diálogo entre diferentes meios de produção”, diz Béatrice. Em cartaz de até 3 de março de 2019.

Musée des Arts Décoratifs: 107 Rue de Rivoli, 75001 Paris, França