Queimada (2016), pintura de Denize Torbes - Foto: Divulgação
Queimada (2016), pintura de Denize Torbes – Foto: Divulgação

Descendente de indígenas, Denize Torbe pesquisa a cultura de sua família há mais de 30 anos, que ganha força em sua produção como artista. Após importantes exposições realizadas em instituições como Casa França-Brasil e CCBB, ela abre sua individual no Centro Cultural Correios, 9 anos depois de sua última mostra na cidade carioca.

Desenho de Denize Torbes (2016) - Foto: Divulgação
Desenho de Denize Torbes (2016) – Foto: Divulgação

Bacharel em Pintura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, a produção de Denize já recebeu diversos prêmios e integra acervos de museus espalhados pelo País, como Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco, Museu de Arte Moderna de Santa Catarina, Museu Nacional de Belas Artes e Museu de Arte do Espírito Santo. Isso sem contar instituições no México, Estados Unidos e Áustria.

Batizada de Cerne, a mostra ocupa duas salas expositivas com pinturas, desenhos, objetos em cerâmica e uma instalação. As obras, muitas inéditas, se relacionam entre si e dialogam com a cultura indígena e as queimadas. O próprio nome da mostra surge disso. “O cerne na natureza é a parte da madeira queimada que não se destrói e a referência nesta série é o ressurgimento, em vestígios, de elementos próprios da cultura de povos antigos assim como a premência de regeneração, como um esforço de suportar as decorrências destrutivas da ação humana”, diz a artista.

Desenho de Denise Torbes (2014) - Foto: Divulgação
Desenho de Denise Torbes (2014) – Foto: Divulgação

Denize Torbes – Cerne
Centro Cultural Correios
Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro
Até 18 de julho