Dakota e a irmã, Elle Fanning, no desfile de verão 2014 da Louis Vuitton, em Paris - Foto: Getty Images
Dakota e a irmã, Elle Fanning, no desfile de verão 2014 da Louis Vuitton, em Paris – Foto: Getty Images

Por Carol Almeida

Dakota Fanningcapa de setembro da Harper’s Bazaar Brasil – não conseguiu passar muito tempo em sua primeira viagem ao Rio de Janeiro. Na apertada agenda de dois dias previa-se conversas com a imprensa e a presença na première de seu mais novo filme, Night Moves, que ela veio apresentar na mais recente edição do Festival do Rio, evento por onde a atriz desfilou um elegante Elie Saab na noite do último sábado (30.09). Entre esses compromissos, fotos com fãs. No hotel, no tapete vermelho, onde as pessoas estivessem. Dakota é sempre atenciosa. “Minha mãe sempre me falou que é preciso ser gentil com as pessoas”, ela diz, em conversa exclusiva com a Bazaar.

E ainda que tenha tido quase nenhum tempo para ver a cidade, do pouco que ela conseguiu observar, a atriz de 19 anos garantiu se tratar de uma dos lugares mais lindos que sua carreira de 13 anos já a permitiu visitar.

Referência nesses casos de sucesso de atores mirins que conseguem quebrar a barreira da adolescência sem cair no esquecimento, Dakota é precisa e treinada nas palavras. Em Night Moves, em que ela interpreta uma das três pessoas que atuam juntas em uma (literalmente) explosiva ação ativista ambiental, a atriz se mostra cada vez mais ciente de seu corpo em cena. E sabe aproveitar o que cada diretor tem a lhe oferecer – neste caso, uma diretora.

O longo Elie Saab usado por Dakota no Festival do Rio - Fotos: Photo Rio News
O longo Elie Saab usado por Dakota no Festival do Rio – Fotos: Photo Rio News

Kelly Reichardt, conhecida entre os cineastas “indies” americanos, era um nome que já chamava atenção de Dakota muito antes do roteiro de Night Moves chegar às suas mãos, segundo a atriz. “Eu já conhecia, admirava e queria trabalhar com ela”, garante. “Acho ótimo esse estilo dela em deixar o público com tempo pra perceber situações em cena. As coisas nunca precisam ser rápidas, as cenas não precisam ser velozes. Quando você está sendo filmado, durante os silêncios temos tempo para pensar em tudo aquilo que se passa com seu personagem.”

Se preparando neste momento para começar a filmar um longa em que contracena com Richard GereFranny é o nome do filme – e, depois, para entrar em temporada de divulgação do filme The Last of Robin Hood (ainda sem título em português), com Susan Sarandon e Kevin Kline, a atriz admite que um dia gostaria de dirigir um filme.

Pergunto se ela se projeta dirigindo a irmã mais nova, a atriz Elle Fanning. Ela ri. “Ai Deus… imagina eu mandando nela pelo set, ia parecer coisa de irmã mais velha, não sei se daria certo.”

Dakota com o ator Jesse Eisenberg e a diretora Kelly Reichardt - Foto: Getty Images
Dakota com o ator Jesse Eisenberg e a diretora Kelly Reichardt – Foto: Getty Images

Estamos sentadas próximas ao oceano, não é praia, mas sim uma área do cais do porto. Na mesa ao lado, a diretora francesa Claire Denis, também convidada do Festival, espera nossa conversa acabar para se apresentar a Dakota e dizer que ela – e estamos falando de uma diretora premiada em Berlim e Locarno – admira o trabalho da jovem moça americana. O cinema parece ter a estrela em boa conta.

Night Moves, que também traz no elenco Jesse Eisenberg, está na programação do Festival do Rio e ainda não tem data de estreia prevista em circuito comercial. A mostra de cinema na capital fluminense segue até o próximo dia 11 de outubro.

Veja mais:
Carine Roitfeld e a diversidade feminina na Bazaar de setembro
Dakota Fanning, Alexa Chung, Lalá Rudge e + na nossa edição de setembro