Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Por Luise Malmaceda

Sentada no chão em silêncio e sem expressar qualquer emoção, Yoko Ono posiciona uma tesoura em sua frente e convida o público, um por vez, a uma única interação: cortar qualquer pedaço de sua roupa para levar consigo. Apresentada pela primeira vez em 1964 no Sogtsu Art Center em Tóquio, a performance consistiu uma ação coletiva de destruição, na época interpretada por muitos como uma obra de engajamento político contra a Guerra do Vietnã, e por outros como uma performance feminista, justificada pela presença do corpo feminino exposto a uma violência fetichista que revelava uma relação de vítima e agressor.

Cut Piece foi representada outras vezes em diferentes locais, despertando reações variadas do público, que por vezes cortavam o tecido educadamente, e em outras ameaçavam, reduzindo suas vestimentas em rasgos violentos até o momento em que restasse somente o corpo nu da artista, de joelhos, exposta em frente à platéia.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação