"The Reincarnation of Saint Orlan" (1990) - Foto: Divulgação
“The Reincarnation of Saint Orlan” (1990) – Foto: Divulgação

Por Luise Malmaceda

Em uma das muitas performances em que transformou salas operatórias em espaços de exposição, a artista ORLAN colocou o seu próprio corpo em processo para questionar os padrões de beleza instituídos e, principalmente, os cânones de representação da figura feminina na História da Arte ocidental.

Em 1990, ORLAN sujeitou-se a uma série de procedimentos cirúrgicos para modificar sua imagem, esculpindo seu rosto como objeto plástico a partir de referências de figuras femininas como a Vênus de Sandro Botticelli e a Mona Lisa de Leonardo da Vinci. As intervenções realizadas faziam parte de seu manifesto intitulado Carnal Art, e foram filmadas e transmitidas em diversas instituições do mundo, como o Centro Georges Pompidou em Paris e a Galeria Sandra Gehring em Nova York. Para a transmissão ao vivo, a artista montou um verdadeiro espetáculo, se apresentando com roupas do estilista Paco Rabanne, lendo textos filosóficos e literários ao som de uma trilha sonora, enquanto os procedimentos médicos a transfiguravam.

"The Reincarnation of Saint Orlan" (1990) - Foto: Divulgação
“The Reincarnation of Saint Orlan” (1990) – Foto: Divulgação