Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Ben Schwartz é hoje um dos nomes mais populares na comédia. Já um veterano dos palcos de comédia stand-up, o ator ficou conhecido no mundo todo pelas séries de comédia “Parks and Recreations” e “House of Lies”. O ator também faz a voz de grandes personagens de animação como Leonardo em “Tartarugas Ninja” e “Sonic”, que estréia ainda este ano.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Em seu mais recente filme, Standing Up, “Falling Down”, Schwartz interpreta Scott, um comediante fracassado que volta para casa de seus pais e fica amigo de um dermatologista excêntrico interpretado por ninguém menos que Billy Cristal.

Nossa colaboradora em Nova York, Miriam Spritzer esteve na estréia do filme durante o Festival de Cinema de Tribeca e conversou com Ben Schwartz sobre a produção e alguns de seus outros projetos. Leia a nossa entrevista exclusiva:

Você está interpretando todos os nossos ídolos de infância! O Leonardo dos Tartarugas Ninja, Sonic, DuckTales.
Sim, eu estou tentando fazer todos os personagens grandes dos anos noventa e oitenta de desenho animado ou videogames. Estou fazendo meu caminho por eles. Acho que é a minha cara.

Esse filme é muito engraçado, vocês se divertiram muito nas gravações?
Nossa, foi incrível. Foi um projeto muito fácil de aceitar, trabalhar com o Billy Cristal, contracenar de fato com ele era um sonho meu. Sou fã dele. A experiência de colaborar e criar com ele foi surreal.

O quando do que está hoje no filme foi improvisado?
Essa é uma ótima pergunta. É muito comum em comédia ter o improviso. O que a gente fez foi trabalhar muito no roteiro antes de filmar. Eu, Billy, o roteirista Peter Hoare e o diretor Matt Ratner fizemos várias reuniões para que quando fosse a hora de filmar já estávamos todos na mesma página.

Como foi a experiência de ensaiar com o Billy Cristal?
Na atuação eu e o Billy improvisamos aqui e ali. Mas nos indies (cinema independente) geralmente não se consegue muito tempo de ensaio. Nós atores temos que ser mais rápidos e afinar bem a cena antes das gravações começarem. Por isso esse trabalho com Peter e Matt foi tão importante.

Você trabalhou nos mais variados tipos de produção, tanto na televisão como cinema. Você tem alguma preferência no dia a dia do trabalho entre produções maiores ou indies?
Eu acho os dois estilos demais e divertidos de trabalhar. Por um lado, com os grandes estúdios, é claro, é sensacional ir em um cinema gigante e assistir os Avengers e ficar impressionado com os efeitos sem saber como o resultado ficaria durante a produção. Já no indie, quem está trabalhando geralmente não teve a oportunidade de mostrar a sua visão de uma história com todos os recursos à disposição como nestas produções blockbusters de milhões de dólares. Então, a gente pode correr mais riscos e ter mais liberdade. E eu adoro isso, tudo está acontece na hora, trocar de roupa no banheiro de um restaurante,. Eu venho da comédia de improviso, gosto desse ritmo de se virar e se sujar no processo.

Você tem um look bastante específico. O que você diria que é o seu estilo?
Bom, quando estou num tapete vermelho, eu tenho que vestir coisas que são boas e vestem bem. Mas no meu dia-a-dia é mais sobre o conforto e estar solto. Todo mundo briga comigo que minhas roupas são grande demais, e eu pareço muito mal vestido. Eu amo vestir uma camiseta vintage e um casaco. Vivo nesse mundo e gosto.