Cena de "Big Little Lies" - Foto: Divulgação
Cena de “Big Little Lies” – Foto: Divulgação

Fãs de “Big Little Lies”, série de maior sucesso de crítica e público em 2017, contam os dias para ver Mary-Louise na segunda temporada, com estreia marcada para o ano que vem. Talvez você não ligue o nome à pessoa. Liane Moriarty, autora do livro homônimo que deu origem à trama da HBO, conta que batizou a personagem de Meryl Streep com o nome da certidão de nascimento da atriz.

“Estou muito animada para vê-la como a mãe de Perry, já que escrevi o papel especialmente para ela. Foi por isso que dei o nome real de Meryl”, diz em entrevista à Bazaar. “Escrevi a história para a segunda temporada e acho que vai ser maravilhoso ver todas essas personagens novamente”, continua a escritora australiana, sem dar mais detalhes do que vai acontecer com os papéis de Reese Witherspoon, Nicole Kidman, Laura Dern, Shailene Woodley e Zoë Kravitz.

Na conversa, a escritora de 51 anos conta que ficou muito impressionada com o resultado da adaptação para a TV e revela que uma das narrativas de “Big Little Lies” é baseada em uma história real. “Uma amiga me contou que, quando sua filha estava no jardim de infância, duas outras garotinhas, aparentemente, sofriam bullying de outra criança. A professora colocou todos os meninos em uma fila, como suspeitos numa delegacia de polícia. Usei essa cena no livro e ela também foi mostrada no primeiro episódio da série.”

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Capa de dois sucessos da autora Liane Moriarty - Foto: Divulgação
Capa de dois sucessos da autora Liane Moriarty – Foto: Divulgação

É a partir desse ponto da trama da HBO que começa a relação de sororidade entre as personagens. Escrever sobre o universo feminino é um caminho natural para Liane Moriarty, que, recentemente, teve relançado no Brasil, pela Intrínseca, o livro “O Que Alice Esqueceu”. O romance sobre uma jovem que perde a memória e não reconhece os próprios filhos é contado pela perspectiva de três mulheres: a própria Alice, a irmã, Elisabeth, e a avó Frannie.

“Tenho uma filha, uma mãe, quatro irmãs e muitas amigas, então as relações femininas são muito importantes na minha vida. Acho que sou bem do time das meninas, é por isso que tendo a focar nesse tipo de relacionamento. Dito isso, claro, também valorizo os homens da minha vida”, afirma.

Os textos femininos também inspiram a australiana, que tem sete romances publicados. Ela cita uma longa lista de suas autoras preferidas, entre elas Anne Tyler, Alice Munro, Jojo Moyes, Kate Atkinson, Marian Keyes e Karen Joy Fowler. “Como você pode ver, parece que gravito em torno da escrita de mulheres, e tenho certeza de que minha própria poética é influenciada por todas elas.”

A autora Liane Moriarty - Foto: Divulgação
A autora Liane Moriarty – Foto: Divulgação

Se é fácil falar sobre suas preferências literárias, Liane tem certa dificuldade em apontar quais são as favoritas entre suas próprias obras. Prefere dizer que gostou mais de alguns processos criativos do que de outros.

“Adorei escrever meu segundo romance, ‘The Last Anniversary’ (sem tradução no Brasil), porque ele tinha muitas personagens idosas e amei o cenário: uma pequena ilha no Rio Hawkesbury, aqui em Nova Gales do Sul (Austrália). Também gostei de escrever meu quinto livro, “O Segredo do Meu Marido” – publicado pela Intrínseca em 2014 -, porque ele teve uma reviravolta muito mais sombria e com mais suspense do que os romances anteriores, e isso foi fascinante para mim.”

Antes que comece a segunda temporada de “Big Little Lies”, há tempo de sobra para mergulhar em todas as mulheres de Liane. “Eu me considero feminista e sou uma escritora, então imagino que isso, tecnicamente, me faz uma autora feminista. Mas não exploro intencionalmente esses temas.”

Leia mais:
Stella McCartney entra na mente de David Lynch
Museu do Louvre cria videoclipe inspirado em clipe de Beyoncé e Jay-Z