Sharon Stone fotografada para a Bazaar norte-americana – Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

Por Carolina Andraus

Sharon Stone faz sua estreia brilhante como escritora e já está, novamente, fazendo barulho. Seu livro “The Beauty of Living Twice” (“A Beleza de Viver Duas Vezes”, ainda sem tradução para o português) está entre os mais vendidos e no top dos mais importantes rankings mundiais de best-sellers. O grande sucesso é um reflexo de como essa icônica estrela dos cinemas narra de forma humanizada e profunda sua brilhante e desafiadora trajetória. Entre grandes momentos, sucesso inimaginável, beleza estonteante e ter o mundo a seus pés, Sharon compartilha e nos mostra como a vida está sempre nos trazendo desafios, não importa onde ou como o mundo nos perceba. 

O livro vem recheado de reflexões inteligentes, de narrativas sensíveis onde Sharon nos leva a viagens da sua infância e a grandes momentos com outras estrelas dos cinemas, como Woody Allen, que deu a ela sua primeira oportunidade como atriz, e ao trabalho com Michael Douglas em “Instinto Selvagem”, onde a atriz alcançou o estrelato, e justamente onde teve que encarar seu lado mais obscuro, e ser capaz de transmutá-lo em uma energia estonteante nas telas. Não é à toa que o mundo se fascinou não apenas por uma cruzada de pernas, mas, principalmente, pela energia hipnotizante dessa mulher-potência que por onde passa deixa sua força e sua marca. 

Sharon precisou olhar nos olhos de seus medos e traumas de infância, e graças a isso se catapultou para o mundo como uma das mulheres mais icônicas do cinema. Seu livro nos ensina muito desse necessário trabalhar do nosso interior, da luz e sombra que todos nós temos, e que, se não postos a bom uso, podem se tornar o grande desafio no nosso caminhar. E nos ensina também que grandes vidas trazem grandes responsabilidade, e a ilusão do sucesso que é superficialmente vista por nós, meros expectadores, vem com um peso que, muitas vezes, pode custar a própria felicidade que imaginamos ser dada a esses seres privilegiados. Quanto maior o privilégio, maior a responsabilidade, maiores os desafios, e a carga de carregar todo esse sucesso e se manter de pé e no topo realmente é para poucos. 

O livro fala também sobre superações de uma infância dura, da busca por se sentir amada e pertencer a um universo convencional, até que um acidente cerebral vascular a levou a se reinventar, reconectar e buscar dentro dela uma construção diferente, uma longa jornada para encontrar a felicidade real. Uma felicidade que só pode ser alcançada quando fazemos as pazes com nossa trajetória, nossos traumas e, principalmente, perdoamos a nós mesmos.

Capa do livro de Sharon Stone – Foto: Divulgação

Conheça de perto a profundidade, os conflitos internos, os desafios impostos pela indústria, a responsabilidade e as privações de uma vida de tanto sucesso, e o isolamento inimaginável que esse sucesso traz. E mais ainda, entrem no cérebro de uma mulher brilhante, absolutamente resoluta com seus valores, que muitas vezes foi tachada de difícil, em um tempo nada distante onde mulheres com postura e opinião eram, e ainda são nos dias de hoje, colocadas à margem e massacradas em sua busca por crescimento e sucesso. Entre festas glamorosas, e muito trabalho, Sharon ainda construiu um trabalho de filantropia e humanitário que já arrecadou próximos a US$ 1 bilhão para financiar a pesquisa de cura da Aids, além de tantas outras causas não menos importantes, reconhecida mundialmente e premiada pelo impacto que trouxe com uma vida de dedicação às causas que abraça. Sharon é a primeira a mover montanhas e ajudar a qualquer pessoa que tenha uma questão de saúde, e principalmente seus grandes amigos e família receberam, nos momentos mais difíceis, essa profunda dedicação.

Ao fazer as pazes com o fato de não ser uma pessoa convencional, Sharon pode encontrar conforto e aconchego, acomodando lado a lado com sua carreira meteórica, a sua imensa missão filantrópica, e seu propósito de vida e família, tudo isso em um contexto inimaginável para nós expectadores, que dificilmente poderíamos imaginar ou entender o impacto emocional de viver sempre vigiada e analisada por literalmente o mundo inteiro.

Sinônimo de sucesso, forca e beleza, Sharon sempre foi extremamente reservada e criou seu próprio universo paralelo, em um esforço constante para proteger a sua privacidade e construir uma certa normalidade, e compartilha pela primeira vez seus desafios e dramas pessoais, suas superações silenciosas, e nos deixa entrar um pouco em um universo até então desconhecido pelo publico. 

Recomendo a leitura, e fortemente aconselho baixar o livro em versão “audible”, lido pela própria autora, onde nos sentimos transportados para uma mesa de varanda, ou um jardim à beira da piscina, passando a tarde com uma grande amiga, escutando, completamente absorvidos, as histórias de uma vida absolutamente fascinante, e para os mais atentos, recheadas lindamente de grandes aprendizados e lições de amor, perdão e superação. 

Carolina Andraus é formada pela FGV, ex-mercado financeiro, empreendedora, desenvolveu e vendeu diversas empresas no mercado imobiliário. Globetrotter e cidadã do mundo, já morou em Londres, Paris, Nova Iorque, Boston, Istambul e Frankfurt. Recentemente voltou a estudar na Harvard Business School e passou a escrever sobre mulheres inspiradoras, comportamento, e viagens.