Capa do livro - Foto: Divulgação
Capa do livro – Foto: Divulgação

Por Luísa Graça

Chloë Sevigny se tornou a garota mais cool do mundo antes mesmo de provar seu talento. Tal qual Edie Sedwick nos anos 1960 e Alexa Chung nos 2000, ela era a it girl definitiva, quando o termo, que hoje torcemos para que caia em desuso, ainda fazia algum sentido. De cabelo raspado, camiseta branca e jardineira, ela estrelou o vídeo mais ironicamente fashion dos anos 1990, Sugar Kane, da extinta banda nova-iorquina Sonic Youth, em que cenas de Sevigny vagueando por Manhattan se intercalam a outras de um desfile da Perry Ellis, encabeçada, na época, por um grunge Marc Jacobs.

Chloë Sevigny em clique de Harmony Korine, nos anos 80 - Foto: Divulgação
Chloë Sevigny em clique de Harmony Korine, nos anos 80 – Foto: Divulgação

Kim Gordon, baixista do Sonic Youth, conheceu Chloë naquele mesmo ano, 1993, quando a garota trabalhava e estagiava na revista Sassy – é ela quem escreve as únicas palavras de The Chloë Book, compilação de imagens da atriz americana que conta com fotos de seu arquivo pessoal (inclusive os clássicos e constrangedores retratos pré-baile de formatura) e também imagens de editoriais e de campanhas, como as da Miu Miu, lançada neste mês pela Rizzoli (US$ 24,92).

Chloë em campanha Spring Summer 1996 da Miu Miu - Foto: Divulgação
Chloë em campanha Spring Summer 1996 da Miu Miu – Foto: Divulgação

“Parece algo bem narcisista e irritante [risos]. Mas fui ao Japão há alguns anos e vi um Chloë Style Book que parecia bem popular e eu não fazia ideia de quem tinha feito. Era um monte de fotos horríveis minhas, clicadas por paparazzi. Fiquei um pouco deprimida, porém, curiosa. […] Resolvi fazer algo do meu jeito. Não é um guia de estilo, é mais uma coleção de fotografias e efemeridades”, contou, recentemente, a um jornal americano. Seu senso de estilo pessoal, um tanto avant-garde, a fez figura carimbada nas mais variadas e célebres publicações de moda, fotografada por grandes nomes, como Juergen Teller e Inez & Vinoodh.

Campanha da Chloé, clicada por Inez & Vinoodh - Foto: Divulgação
Campanha da Chloé, clicada por Inez & Vinoodh – Foto: Divulgação

The Chloë Book dedica-se a ilustrar uma crônica do estilo peculiar de Sevigny ao longo de sua carreira. De skatista adolescente (ou adulta, vide sua ótima participação no video clipe Any Fun, da banda Coconut Records) a atriz vencedora de prêmios e designer de coleções incríveis para a Opening Ceremony, label tão cool quanto ela.

Ao lado de Nicole Kidman, em Dogville (2003) de Lars von Trier - Foto: Divulgação
Ao lado de Nicole Kidman, em Dogville (2003) de Lars von Trier – Foto: Divulgação

Em Darien, pequena cidade de Connecticut, ela passava suas noites costurando as próprias roupas, ouvindo discos de bandas dos anos 1970 e 1980 e andando de skate com os amigos de seu irmão – construindo uma rede de referências com vida em vez de vaidade e tendências prontas. Aliás, foi através desses amigos que ela conheceu Harmony Korine, que escreveu e coestrelou o filme Kids, de Larry Clark, seu début no cinema, que a consagrou como (eterna) rainha do cinema independente americano, 20 anos atrás. Daí para a frente, trabalhou com Woody Allen, Jim Jarmusch, Lars von Trier, Werner Herzog…também fez TV, como as séries Portlandia, Amor Imenso e a mais recente, Bloodline, que estreia em breve no Netflix. Chloë está em todas.